Os coxinhas perderam: atos do dia 30 tornaram o dia 26 irrelevante
BRASIL-EDUCATION-BUDGET-CUTS-PROTEST
Os coxinhas perderam: atos do dia 30 tornaram o dia 26 irrelevante
BRASIL-EDUCATION-BUDGET-CUTS-PROTEST

Ontem (30) a população tomou novamente as ruas para exigir o fim do governo de Jair Bolsonaro. O dia de protestos já estava marcado antes, mas acabou servindo de resposta aos atos bolsonaristas de domingo (26). No entanto, mal se pode realmente comparar as duas coisas. Os atos do dia 26 já tinham sido muito menores do que os grandes protestos de massa do dia 15. Diante dos atos de ontem, mais uma vez os atos bolsonaristas ficaram pequenininhos.

A imprensa golpista procura encobrir esse fato comparando o número de cidades em que houve protestos. Olhando esse número, pareceria que as duas coisas são comparáveis. No entanto, os únicos atos a favor de Bolsonaro que poderiam ser considerados grandes aconteceram em São Paulo e no Rio de Janeiro. Mesmo assim, os dois perderam tanto para o dia 26 quanto para o dia 30. E de muito longe. A dimensão das duas coisas é tão diferente que a comparação sequer faz sentido. A atitude da imprensa burguesa ao tentar encobrir essa diferença tão gritante demonstra o desespero da burguesia frente à mobilização popular.

O problema para a direita é que seu programa é impopular. E esse governo está tendo sua impopularidade revelada diante do país inteiro de modo incontornável. O clamor popular é pelo Fora Bolsonaro, enquanto nos atos do dia 26 não apareceu ninguém. Em algumas cidades, em sentido literal. Enquanto em outras cidades houve “atos” com uma única pessoa defendendo o governo. É na comparação mais geral entre as duas mobilizações a nível nacional que a diferença é ainda muito mais profunda. Nos dias 15 e 30 a esquerda realizou atos grandes em muitas capitais e cidades médias, e até em cidades pequenas. Os bolsonaristas só conseguiram encher, e relativamente, duas cidades, em pleno domingo.

O governo Bolsonaro está rapidamente se encaminhando para a mesma situação em que estava o governo Temer. Por isso chegou a hora de finalmente derrubar Bolsonaro e derrotar a direita golpista por meio da mobilização nas ruas. Para reverter a destruição golpista contra os trabalhadores e o país.

Para comparação: na foto primeira foto, a população protesta contra Bolsonaro dia 30 no Largo da Batata; na segunda, um punhado de coxinhas fracassa na defesa do moribundo governo de extrema-direita, em um amontado de gente cheio de lacunas e clarões.