Ato pela libertação de Lula: caravana do Comitê contra o Golpe do Distrito Federal rumo a Curitiba

Por volta das 19h30 do último domingo (29) partiu de Brasília para Curitiba o ônibus organizado pelo [Comitê contra o Golpe, Não à prisão de Lula – Distrito Federal]. O grupo enfrenta 24h de viagem para participar do grande ato pela libertação de Lula programado para o 1º na capital paranaense. No percurso, somaram-se ainda companheiros de Anápolis e Goiânia. Na noite da véspera, ganharam a estrada também dois ônibus, organizados pela CUT-DF e pelo Sinpro. É característica do grupo do Comitê a campanha financeira realizada pelos próprios membros do grupo, que permitiu o custeio da viagem de cerca de 20 companheiros que não dispunham de recursos para a empreitada.

Compõem a caravana sobretudo militantes do PCO, do PT, da FNL e ativistas de imprensa de esquerda. Em comum, a convicção de que a mobilização popular pela libertação de Lula é a única política capaz de combater o golpe de estado em curso no Brasil, bem como uma profunda descrença das instituições dominadas pelos golpistas – sobretudo o poder Judiciário e as forças de repressão, responsáveis pela criminalização da esquerda e pelo ataque aos movimentos sociais. O covarde ataque a tiros realizado por fascistas num dos acampamentos do MST em Curitiba acirrou os ânimos da militância.

Os militantes se somarão aos acampados pela manhã do dia 1º, participarão de uma Plenária Nacional dos Comitês de Luta contra o Golpe às 10h, e se somarão aos atos na Praça Santos Andrade (Centro) pela tarde.

Após as mobilizações espontâneas vistas em São Bernardo quando da decretação da prisão de Lula, a expectativa do grupo é ajudar a compor um ato de massas capaz de mostrar a força da mobilização dos trabalhadores contra a burguesia. Com isso, muda-se a correlação de forças políticas, permitindo-se a preparação progressiva de uma greve geral contra o golpe e pela libertação de Lula.

O Comitê contra o Golpe, Não à prisão de Lula – Distrito Federal, foi criado em outubro de 2016. É um dos mais ativos e antigos comitês de luta contra o golpe organizados no país. O Comitê já organizou caravanas para dois atos nacionais em Curitiba em 2017 e para o ato de Porto Alegre em fevereiro desse ano, tendo ainda participado da I Plenária Nacional dos Comitês em Belo Horizonte em dezembro, e auxilado na organização dos dois atos nacionais pela anulação do impeachment realizados em Brasília no último ano.

Com mais essa mobilização a expectativa é de que os comitês de luta contra o golpe se multipliquem no Distrito Federal – por região e por categorias – de modo a potencializar a derrota dos golpistas pela classe trabalhadora.