Siga o DCO nas redes sociais

PSDB e PM contra o povo
PSDB usa PM para impedir manifestação política em São Paulo
Governo dos golpistas coloca seu braço armado para impedir a luta política em São Paulo
PSDB e PM contra o povo
PSDB usa PM para impedir manifestação política em São Paulo
Governo dos golpistas coloca seu braço armado para impedir a luta política em São Paulo
Um dos flagras da repressão da PM de São Paulo contra ativistas.
Um dos flagras da repressão da PM de São Paulo contra ativistas.

Ocorreu na última quinta-feira (30), mais uma manifestação contra o aumento das passagens em São Paulo (SP), levado adiante pelos governos privatistas do PSDB e demais golpistas, que estão vendendo o patrimônio do país, de conjunto.

O PSDB, dessa vez, não quer permitir mais as atividades políticas nas ruas da cidade de São Paulo, sendo que nesta quinta-feira, o governo tucano mandou cercar o próprio local onde seria a manifestação, antes de ela acontecer, de maneira que os manifestantes tiveram que ficar nas proximidades do Largo São Francisco, faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

O ato havia sido chamado para frente da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, na rua Libero Badaró. Mas a rua foi fechada pela Polícia Militar antes do ato, ou seja, o ato foi estrangulado antes mesmo de começar. 

De qualquer maneira, os manifestantes se juntaram em frente ao Largo São Francisco e fizeram a manifestação. Cabe destacar que, uma vez mais, a bateria Zumbi dos Palmares esteve presente, agrupando em torno de si todos os interessados em utilizar a bateria como mais um instrumento de agitação nas manifestações.

Por outro lado, é preciso destacar que os atos contra o aumento das passagens precisam defender, abertamente, o fora Bolsonaro, fora Doria, fora Covas. São os mandantes de todos os ataques contra o povo trabalhador de São Paulo e do Brasil.

É com este chamado que será possível agrupar mais pessoas e organizações dos trabalhadores, como sindicatos e partidos, em torno da luta pela estatização completa do transporte e o fornecimento gratuito do serviço, na luta pela derrubada do governo golpista de Jair Bolsonaro.