Veja como foi o dia internacional das trabalhadoras em Curitiba

2019.03.08 8M em Curitiba 11 b

Na última sexta-feira (08/03), como parte do dia internacional das trabalhadoras, mulheres de toda a Curitiba fizeram um ato que reuniu em torno de 1.500 pessoas, na sua grande maioria mulheres.

O ato iniciou com atividades na praça Santos Andrade, na escadaria do prédio histórico da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e perto das 19h seguiu em passeata para a boca maldita na rua XV.

Entre as várias falas, de representantes de partidos e movimentos presentes (como Marcha Mundial das Mulheres, PT, União Brasileira de Mulheres, PCdoB, MST, PSOL, entre outras), destacaram-se as das companheiras da Vigília Lula Livre, chamando as mulheres a lutarem contra a reforma da previdência de Bolsonaro e pela liberdade do ex-presidente e a da companheira Gisela, do Comitê em Defesa da Venezuela – venezuelana, militante de esquerda residente em Curitiba – que denunciou as tentativas do imperialismo dos EUA de invadir a Venezuela e derrubar o governo Maduro (como derrubaram Dilma) e chamou as mulheres a combater a imperialismo na América Latina.

Outro ponto positivo foram as manifestantes ecoarem, durante a maior parte do ato, o hino do carnaval: Ei Bolsonaro vai tomar no ..! Lula Livre! Mostrando a disposição de luta presente no ato da capital onde os golpistas mantém Lula preso político há mais de 330 dias.

O Coletivo de Mulheres do PCO Rosa Luxemburgo participou do ato impulsionando o programa revolucionário para as trabalhadoras, chamando-as a lutar:
Contra o governo Bolsonaro e sua reforma da Previdência (na declaração que o coletivo distribuiu havia o convite para a inauguração do CCBP Curitiba com a palestre-debate “barrar a ofensiva fascista contra as mulheres);
Pela liberdade de Lula (foram coletadas várias assinaturas no abaixo-assinado pela liberdade do ex-presidente);