“Atira primeiro, pergunta depois”, exército mata mais um no RJ

Tropas do Exército saem de batalhões para ação em área violenta do Rio

A intervenção militar fez mais uma vítima no Rio de Janeiro. Uma amostra da ditadura militar. Um motociclista que pedalava na Zona Norte da cidade foi executado por um soldado na Rua Salustiano Silva. O motivo teria sido o furo de um posto de bloqueio e controle do exército, na área da Vila Militar.

Os militares executaram o indivíduo sem mesmo abordá-lo. Se a abordagem já revela um clima de autoritarismo na cidade, a execução de um cidadão sem mesmo lhe dirigir uma palavra demonstra que os militares chegaram na cidade justamente para assassinar a população carioca.

Assim, um jovem de 25 anos foi assassinado. Mais uma vítima do golpe militar. Como vem demonstrando os últimos acontecimentos políticos, como o assassinato de Marielle Franco e os tiros na caravana e acampamento do Lula, a tendência da evolução política é o fascismo, altamente relacionado com as forças de repressão do Estado burguês. Por isso, é necessário denunciar o golpe militar e se mobilizar contra o golpe de estado para barrar esta ofensiva das classes dominantes.