Menu da Rede

A lenda da urna sem cabeça

Fraude eleitoral

Atentado contra os direitos democráticos

Burguesia impede o voto impresso para garantir a manipulação das eleições com urna eletrônica

Na maior parte do mundo, inclusive nos países avançados, o voto é impresso – Foto: Mike Theiler/Reuters

Em editorial de ontem (19), intitulado “Atentado contra a democracia”, o jornal reacionário O Estado de S.Paulo defende a tese de que aqueles que pedem o voto impresso nas eleições estariam atacando sua lisura e desrespeitando o voto e o regime democrático.

Denunciando a determinação do presidente da Câmara, Artur Lira, de criar uma comissão especial para discutir a PEC do voto impresso, o Estadão afirma: “a tentativa de dar ao voto impresso um caráter de prioridade nacional, como se a lisura das eleições estivesse em risco por causa das urnas eletrônicas, é um atentado contra a democracia”.

O presidente fascista Jair Bolsonaro, embora seja um político abjeto e antidemocrático, defende – por interesses próprios – a posição democrática do direito ao voto impresso. Esse é um dos muitos motivos pelos quais a burguesia tenta substituí-lo por alguém de maior confiança, da direita “civilizada”. Assim, o jornal chama Bolsonaro de “negacionista” também por defender o voto impresso.

Negacionismo, no entanto, é não reconhecer que o sistema eleitoral é facilmente fraudável através da urna eletrônica. A informática simplesmente não permite esse tipo de controle do voto secreto e uno pela urna eletrônica que a burguesia tanto propaga. A urna eletrônica por si só questiona a tão sagrada lisura do sistema eleitoral brasileiro.

Tanto é assim que, no mundo inteiro, apenas 15 países (incluindo o Brasil) utilizam urna eletrônica em suas eleições, segundo reportagem de 2020 da AFP. E, de acordo com um especialista entrevistado pela agência de notícias, somente o Brasil e alguns locais dos EUA, França e Namíbia rejeitam o comprovante em papel.

O voto impresso dificulta a fraude eleitoral. Os eleitores precisam de garantias de que o processo é justo, e o papel é a única forma de assegurar uma verdadeira lisura nas eleições.

Negacionismo é afirmar que a urna eletrônica é inviolável. Os serviços eletrônicos, até hoje, não encontraram um meio para não serem invadidos de algum modo. Tanto é assim que o serviço de inteligência alemão já levantou a hipótese de voltar a utilizar a máquina de escrever ao invés de computadores para impedir a espionagem norte-americana. Os alemães, assim como todos nós, sabem que os Estados Unidos são os mestres da espionagem mundial – espionam todo o mundo. E também dos golpes e fraudes eleitorais: é para facilitar a manipulação do imperialismo, a fim de eleger seus candidatos de confiança, que se impôs ao Brasil a urna eletrônica.

Ademais, a utilização da urna eletrônica também viola o voto secreto, uma vez que é extremamente fácil cruzar os dados do eleitor no momento em que se inscreve para votar com a sequência de votos depositados na urna.

Nos últimos anos, temos visto uma série de arbitrariedades por parte do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para suprimir o direito ao voto. Desde a implementação da biometria até o cancelamento de milhões de títulos de eleitor, passando pela anulação da obrigatoriedade da impressão do voto prevista pela reforma eleitoral de 2015.

A ditadura golpista, da qual tanto o judiciário como a imprensa são pilares de sustentação, busca dificultar até finalmente proibir o direito ao voto dos cidadãos. Daí todas as novas regras e os antigos ataques à ideia do voto impresso.

Ao invés disso, para que haja um sistema minimamente digno de se reivindicar democrático, o direito ao voto deveria ser total e irrestrito. Ou seja, votar deveria ser um ato o mais simples possível. Com qualquer documento, em qualquer local, no momento em que quiser durante as eleições, o eleitor deveria poder exercer o seu direito ao voto, um dos mais básicos e fundamentais de qualquer regime democrático.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.