Até Macron, que destruiu Notre-Dame, rejeita Bolsonaro, que está destruindo o Brasil
maconr
Até Macron, que destruiu Notre-Dame, rejeita Bolsonaro, que está destruindo o Brasil
maconr

Nesta quarta-feira (05), foi amplamente noticiado o fato do governo Macron ter se recusado a participar do VI Fórum Econômico França-Brasil por conta da participação de representantes do governo Bolsonaro, entre eles o general Santos Cruz. Diante dos protestos e da pressão de mais 20 associações francesas contra o governo Bolsonaro, Macron recuou.

O combalido governo de Macron que enfrenta umas das maiores ondas de protestos da história da França e ficará conhecido por ter derrubado a igreja de Notre-Dame (com sua política neoliberal de corte de recursos) não quis aparecer na foto ao lado do governo golpista que está destruindo o Brasil.

O ponto em comum dos dois governos é terem sido eleitos por uma fraude eleitoral que levou figuras impopulares ao poder. Assim como aconteceu com Macron, imediatamente após as eleições Bolsonaro vem perdendo o pouco apoio que tinha e isso tem deixado a fraude cada vez mais exposta.

Nesse contexto, o banqueiro Macron achou melhor sequer aparecer ao lado do fascista brasileiro que era alvo de muitos protestos na França por conta da participação nesse evento. Além disso, para impedir um desgaste maior, os jornalistas foram proibidos de cobrir o evento dentro do prédio onde era realizado.

Ainda do lado de fora, era possível ouvir gritos contra Bolsonaro, contra o fascismo e pela liberdade de Lula. Além de ser rejeitado pela imensa maioria dos brasileiros, Bolsonaro rapidamente se tornou odiado mundo a fora e mesmo os direitista e banqueiros antipovo como Macron se recusam a ser associados a ele.