Siga o DCO nas redes sociais

Combustíveis na mira da crise
Ataques ao Irã devem provocar alta no preço de combustíveis
Após ataque dos EUA ao líder popular iraniano Qassem Soleimani, os preços do barril de petróleo teve uma alta significativa, no caso brasileiro tende a aumentar ainda mais..
brasil-greve-caminhoneiros-
Combustíveis na mira da crise
Ataques ao Irã devem provocar alta no preço de combustíveis
Após ataque dos EUA ao líder popular iraniano Qassem Soleimani, os preços do barril de petróleo teve uma alta significativa, no caso brasileiro tende a aumentar ainda mais..
Greve dos Caminhoneiros. Escolta da Petrobrás em S. José dos Campos 05/2018. Foto: Roosevelt Cassio
brasil-greve-caminhoneiros-
Greve dos Caminhoneiros. Escolta da Petrobrás em S. José dos Campos 05/2018. Foto: Roosevelt Cassio

A crise entre os Estados Unidos e Irã poderá afetar os preços dos combustíveis no Brasil de forma direta, pois a politica de preços para a gasolina e o diesel no Brasil é a de acompanhar a cotação internacional do barril de petróleo. Após o assassinato de Qassem Soleimani, general iraniano, em um ataque aéreo americano no aeroporto em Bagdá, no Iraque, que matou 7 pessoas entre eles o chefe da guarda revolucionária do Irã. O preço mundial do barril de petróleo disparou.

O Irã é décimo maior produtor de petróleo do mundo, segundo a OPEP e que sua posição geográfica é estratégica para escoação de um quinto da produção global de commodity  .Na sexta feira (3) a cotação do barril de petróleo tipo Brent subiu 4%, chegando o preço a US$ 70.

No Brasil os preços dos combustíveis vem subindo vertiginosamente desde o golpe de estado em 2016. Nos últimos meses com a valorização do dólar aumentaram significativamente. Sendo assim, o presidente fraudulento Bolsonaro, um dia após o ataque que matou Soleimani, admitiu que os preços dos combustíveis no Brasil devem sentir o impacto. Na saída do palácio Alvorada afirmou aos jornalistas sobre o preço da gasolina e do diesel “que vai afetar vai, agora vamos ver o nosso limite aqui”.

Para o economista chefe da Macrosector Consultores Fabio Silveira, em reportagem para a BBC, após o crime contra o líder iraniano, afirma que “dependendo da reação, a escalada de preços pode ser ainda pior, de qualquer forma, não devemos voltar ao patamar de US$ 60 (do barril do tipo Brent) tão cedo”.

Nesta segunda feira (6), Bolsonaro marcou uma reunião que será comandada pelo ministro de minas e energia, Bento Albuquerque, para discutir a alta do preço do combustível com a equipe econômica.

De acordo com o jornal Metrópoles, o governo golpista sugeriu apelar para que os governadores dos estados reduzam a alíquota do imposto sobre a circulação de mercadorias e serviços (ICMS), caso aja uma alta no preço da gasolina e diesel no país, “tivemos conversa e temos uma estratégia de como proceder o desenrolar dos fatos. A coisa que mais preocupa é uma possível alta no petróleo, de 5% no momento, disse Bolsonaro.

A partir do governo ilegítimo de Michel Temer, em 2017 a Petrobras adotou uma politica que repassa ao preço da gasolina e do diesel nas refinarias a variação de acordo com a cotação internacional do petróleo e do dólar. Bolsonaro disse que não pode intervir no preço que a empresa irá repassar para as bombas, deixando assim a população nas mãos dos capitalistas petroleiros internacionais.

Outro caso que favorece a alta nos preços do combustível e que vem se desenhando cada dia mais é o desmonte e sucateamento que vem acontecendo na empresa brasileira desde o golpe de estado em 2016.

Sob ataque da operação Lava Jato, que segundo a Direção do Sindicato do Petroleiros foi instrumentalizada para desestabilizar e privatizar a Petrobras, prejudicando assim a soberania nacional e aumentando o preço dos combustíveis favorecendo as gigantes do petroleiras internacionais em detrimento do povo brasileiro.

De forma abrupta as denuncias de corrupção contra a Petrobras pela Lava Jato custou milhões de empregos, desinvestimento em larga escala na empresa, e diminuição significativa no produto interno bruto brasileiro.

As privatizações desde 2017, estão acontecendo ao longo de 2019 em vários setores estratégicos da empresa, o ultimo ataque do ano foi nas refinarias de petróleo brasileiras, que postas a venda a troco de banana, foi “festa” em sua maioria para as multinacionais chinesas.

Um país soberano não pode deixar suas riquezas naturais de produtos essenciais ao cotidiano do trabalhador a mercê dos monopólios imperialistas que só visam lucros. Portanto, é extremamente importante organizar e mobilizar a população nas ruas e por abaixo todo esse regime golpista de conjunto que afeta nossa soberania e destrói nossa economia dia após dia.