Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

A caravana de Lula pelo Sul do Brasil foi uma das mais atacadas, se não a mais atacada. É possível dizer que a direita se organizou melhor para avançar sobre a caravana, com paus, pedras, chicotes e tratores.

Foi um típico setor social que atacou a caravana: os latifundiários e toda a gama de pessoas que ganha dinheiro com essa atividade econômica que representa o atraso nacional. O latifúndio, por outro lado, foi um dos grandes incentivadores do golpe de Estado, que depôs Dilma e o PT do governo federal.

Lendo sobre a criação dos Panteras Negras, a sua luta pela autodefesa e os confrontos com a direita norte-americana nos anos 1960, é fácil compreender que eles precisavam de armas para conter a direita fascista, representada pela Ku Klux Klan.

Aqui, só um parêntese: se vocês pegarem algumas imagens dos agressores da caravana de Lula no Sul e comparar com alguns integrantes da KKK, vocês verão uma certa semelhança, mas é só coincidência…

Enfim. Robert F. Willians (1925-1996), em seu livro Negroes With Guns publicado em 1962, mostra que o armamento do povo negro foi uma necessidade diante dos ataques desferidos pela direita racista, dentro e fora do estado. E essa, finalmente, foi a única política capaz de colocar um freio aos linchamentos e assassinatos de negros.

Esse livro instigou Huey P. Newton e outros negros que já estavam impacientes com o massacre de seu povo a criar o inicialmente chamado Partido dos Panteras Negras para a Autodefesa. Através do partido, organizaram grupos comunitários de segurança, portando rifles e pistolas, faziam a defesa da comunidade contra qualquer ataque da polícia ou dos covardes da KKK. Posteriormente prestaram serviços sociais para a comunidade, como educação, saúde e alimentação.

Deu certo.

E deu certo porque o sistema capitalista e o racismo se impõe pela violência contra os indefesos. A partir do momento em que o indefeso carrega rifles e pistolas, fica um pouco mais complexo fazer coisas como a KKK fazia, ou como fizeram os “rednecks” brasileiros contra a caravana de Lula, ou mais, o que fez a PM no último sábado, no Rio de Janeiro, quando executou oito jovens negros.

O FBI e a operação Cointelpro (que a Polícia Federal brasileira conhece muito bem), desestabilizou a organização de Huey P. Newton através das drogas financiadas pelo próprio estado, de assassinatos, de campanha de calúnias feita pela imprensa, além do ataque direto.

Os negros de lá tinham a vantagem da lei, que permitia o porte de arma, contanto que estivesse à vista de todos. Além disso, vários militantes tinham experiência com guerras e o serviço militar norte-americano.

De toda maneira, a experiência do partido ficou. E, diante dos últimos acontecimentos nacionais, diante do golpe de Estado e da direita, fica clara a necessidade de lutar pelo direito ao armamento do povo, pelo direito de autodefesa, pela constituição de comitês de autodefesa.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas