Ataque da direita ao acampamento em Curitiba pretende intimidar o ato de 1º de maio

O ataque contra o acampamento em Curitiba (PR), onde foram disparados diversos tiros contra trabalhadores, é uma tentativa de intimidar o ato de 1º de maio.

Quem não está acostumado com a violência da direita e suas organizações, se preocupa com o que pode acontecer na atividade. A direita está preocupada com o 1 de maio e quer intimidar todo mundo. A cada ataque desferido pela direita e autorizado pelo Estado, vai se consolidando o fato de que estão proibidos os protestos. Eles, os direitistas, vão intensificar os ataques às organizações operárias, aproveitando o momento político. 

Em grande medida, já estamos em um regime que existe sob a tutela dos militares, pois crimes como os que foram registrados em Curitiba simplesmente não serão investigados, pois foram acobertados pela força de repressão. 

Nesse sentido, a postura do povo deve ser a contrária, de não se intimidar diante da direita, organizar um gigantesco 1º de maio na cidade, transformar o local em uma panela pressão, e forçar a direita a recuar, impor uma derrota aos golpistas, lutar pela liberdade de Lula.