Imprensa operária
O que houve com o diário Causa Operária é o equivalente da tentativa de invasão de uma sede partidária por parte da direita fascista
Jornais de esquerda apreendidos pelo DOPS, de São Paulo | Foto: Reprodução

O Partido da Causa Operária tem um jornal na internet, que é o DCO (Diário Causa Operária), com mais de 20 anos de história. E tem, também, o jornal impresso, fundado em julho de 1979, o Causa Operária. 

O DCO, por sua vez, evoluiu de ser uma página com algumas matérias diárias, como é o mais comum na esquerda, para um jornal com uma média de 40 matérias diárias, com inúmeros colaboradores, através de um trabalho militante.

Este diário abarca um conjunto grande de questões, e tem se colocado na linha de frente da luta pelo Fora Bolsonaro. Levou, também, uma série de campanhas políticas importantes, como a liberdade para Lula, a luta contra o impeachment de Dilma, etc.

Além disso, o DCO tem levantado a luta pelo interesse dos trabalhadores na crise econômica que resulta da pandemia, além de uma quantidade enorme de matérias de cultura, sobre a luta dos negros, das mulheres e dos setores oprimidos.

Ou seja, um jornal revolucionário, que defende o socialismo, o marxismo, não é um jornal qualquer. Apesar da limitação de recursos em sua produção, conseguiu um público importante de 500 a 700 mil visualizações todos os meses, por exemplo. Justamente por esses motivos, ele foi atacado.

Diante do que foi dito até aqui, é claro que foi um ataque de características fascistas, pois quem tem o interesse em derrubar uma imprensa desse porte é a direita. Trata-se de um ataque de tipo fascista. 

O ataque ao site da imprensa digital do PCO foi uma tentativa de destruir totalmente o site, que foi impedida graças à intervenção dos militantes responsáveis pelo jornal online. Não fosse isso, o DCO teria sido destruído totalmente. Seria um dano incalculável, irreparável. 

O PCO informa aos companheiros, todos, que foi iniciada uma investigação, e uma empresa foi contratada para estabelecer a origem desse ataque.

A partir daí, o PCO vai se utilizar de todas as possibilidades para responder esse ataque criminoso, direitista. Estamos estudando, também, outras formas de retaliação, pois foi um ataque fascista e, como tal, vamos reagir de todas as maneiras possíveis à nossa disposição. 

O que houve com o Diário Causa Operária é o equivalente da tentativa de invasão de uma sede partidária por parte da direita fascista, ou a invasão de uma gráfica de esquerda, com destruição de máquinas e impressos.

Não será permitido que ataque ao DCO passe em brancas nuvens. A política do PCO, diante dos ataques da direita fascista, sempre foi de confronto, muitas vezes, físico. E com fascista não tem conversa, não tem acordo.

Consideramos, como pode ser visto em nossa imprensa, seja impressa, seja online, que a direita não pode ocupar o espaço político, as ruas, pois a vitória deles é a derrota das organizações operárias. O ataque ao DCO é um ataque de tipo fascista, e, como tal, será respondido à altura, por todos os meios necessários.

Relacionadas