Assim funciona o capitalismo: empresa norte-americana esconde remédio contra Alzheimer desde 2015 por conta de “lucro baixo”

Pfizer and Allergan merger

Da redação – Reportagem do jornal norte-americano The Washington Post revelou que a empresa farmacêutica norte-americana Pfizer está escondendo remédio contra Alzheimer desde 2015, por conta de “lucro baixo”.

O Alzheimer é uma doença que atinge milhões de pessoas no mundo todo. Com essa atitude da empresa, todas as pessoas atingidas por ela estão sendo prejudicados. Segundo a Associação Internacional de Alzheimer, em 2030, as pessoas atingidas por Alzheimer deve atingir 75 milhões de pessoas e 132 milhões em 2050.

Em 2015, a empresa norte-americana descobriu um anti-inflamatório para artrite (Enbrel), que produz efeito no cérebro capaz de retardar a doença do Alzheimer, sendo capaz de reduzir 65% os riscos da pessoa desenvolver esta doença.

Isto é, o remédio seria um verdadeiro progresso na luta contra o Alzheimer.

Porém, a reportagem mostra como funciona o caráter parasitário do capitalismo internacional. O imperialismo, por conta de uma operação com suposta “baixa lucratividade”, está escondendo por mais de 4 anos um remédio fundamental que ajudaria dezenas de milhões de pessoas no mundo todo.

Isso, em si, demonstra que o capitalismo já não é mais um regime que se sustenta, pois já não tem mais nada a oferecer para a população, além de miséria e paralisia.