Golpe no palácio?
Para abafar o caso, vice-presidente chamou o caso de lamentável e disse que é leal a Bolsonaro.

Por: Redação do Diário Causa Operária

O vice-presidente Hamilton Mourão demitiu seu assessor que, em troca de mensagens, disse Em conversas divulgadas pelo portal de extrema-direita “O Antagonista”, o assessor do vice-presidente Hamilton Mourão, Ricardo Roesch, procurou o chefe de gabinete de um deputado federal para conversar sobre preparativos para um eventual governo chefiado pelo general da reserva. Na prática, a conversa era uma conspiração para a derrubada do atual presidente, o ilegítimo Jair Bolsonaro. Na conversa, Roesch também disse que Mourão “é mais preparado” e que que o “capitão” estava errando muito na pandemia.

Para abafar o caso, Mourão exonerou seu assessor e chamou a situação de “lamentável”. Disse ainda ser contra um processo de impeachment de Bolsonaro e falou em lealdade. Embora todos saibam que, na política burguesa, tal coisa não esxiste.

Send this to a friend