Ataque a Petrobras
Nesta semana está sendo realizadas assembleias dos sindicatos dos petroleiros em todo país para barrar a contraproposta da direção da Petrobras contra os trabalhadores e a empresa
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Greve-dos-Petroleiros-Foto-FUP-1-1200x721
Greve dos petroleiros, fevereiro de 2020, Rio de Janeiro | Foto: FUP

Reunidos no Conselho Deliberativo no dia 06 de agosto, os sindicatos da FUP, Federação Única do Petroleiros, solicitaram a realização de assembleias em todo país a partir do dia 10 até o dia 17 de agosto deste ano, para submeter os trabalhadores a contraproposta absurda de Acordo Coletivo feita pela gestão da Petrobras e subsidiárias. Em Pernambuco, Ceará e Bahia onde as Assembleias já iniciaram a rejeição a proposta por parte da categoria é unânime. A resposta dos trabalhadores está sendo a favor dos indicativos da FUP.

Os petroleiros reivindicam a prorrogação do atual Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), regramento do teletrabalho, com cláusulas protetivas no ACT, manutenção da Assistência Multidisciplinar de Saúde (AMS) como plano autogerido pelo RH, regramento das tabelas de turno com proteção à jornada de trabalho, relação trabalho x folga e preservação da quinta turma. Reajuste pelo IPCA correspondente a anos anteriores, ajustes nas clausulas que foram objeto de mediação no TST como hora extra na troca de turno, banco de hora e efetivos, medidas protetivas para os terceirizados, restabelecendo o fundo garantidor, condições de segurança no emprego e no trabalho a recomposição dos efetivos e a defesa da Petros.

A gestão da Petrobrás presidida por Roberto Castello Branco apresentou uma contraproposta de 0% de reajuste para os trabalhadores, aumento de até 1.422% no grande risco da AMS, que penaliza os mais velhos e os menores salários. Redução da hora extra na troca de turno de 50%, retirada da HE dos feriados trabalhados no turno (dobradinha) no Carnaval, 21 de abril, 1º de maio, 7 de setembro e 15 de novembro entre outras medidas que apontam para o desmonte do ACT, e reforçam o descumprimento de legislações e acordos mediados pelo TST. A empresa também se recusa a discutir garantias para o trabalhador terceirizado e disse que não vai negociar o regramento no ACT com milhares de funcionários que estão no teletrabalho.

O coordenador geral da FUP, Dayvid Barcelar criticou a proposta criminosa da Petrobras e denuncia que enquanto querem retirar direitos e reduzir salários dos trabalhadores em meio a pandemia, eles dão aumentos escandalosos para a administração. “Além de tudo isso a gestão Castello Branco tenta fazer um processo de asfixiamento do movimento sindical , das entidades que representam os trabalhadores e trabalhadores e que defendem a categoria petroleira” afirma Barcelar, que convoca a todos da categoria a se somar nas assembleias e rejeitar a proposta feita pela direção da empresa.

É preciso deixar claro que essa contraproposta da Direção da Petrobras deve ser rejeitada, e que os trabalhadores devem se mobilizar para defender não apenas seus direitos conquistados a longo de anos como também defender a própria estatal que está na mira do governo fraudulento e golpista de Bolsonaro e seu Ministro da Economia Paulo Guedes para privatizar a empresa. Sorrateiramente esses dois capachos da burguesia e do imperialismo estão entregando o país de bandeja para as multinacionais e grandes capitalistas. Na verdade, só estão onde estão para isso, destruir o Brasil e doar para o mercado financeiro internacional.

A direção da FUP, denunciou que nas últimas semanas, a diretoria da Petrobras está concluindo as negociações para entrega da refinaria Landulpho Alves, na Bahia, e arrendou as fábricas de fertilizantes do Nordeste, localizadas na Bahia e em Sergipe e colocou à venda usinas de biodiesel junto com a subsidiária PBIO e leiloou a preço de banana três plataformas da Bacia de Campos, além de anunciar que está se desfazendo da Gaspetro, com 10 mil km de gasodutos e participação em 22 distribuidoras de gás natural em vários estados do pais.

Segundo os cálculos dos petroleiros, somando a produção das três plataformas da Bacia dos Campos, a receita é de 5,7 milhões por dia, sendo assim o comprador levará dois dias para recuperar o investimento de 7,5 milhões. “Estão privatizando a Petrobras com a venda dos ativos a preço de banana, seja transformando em subsidiárias, seja vendendo esses ativos na bacia das almas. É escandaloso”, alerta Bacelar. Para barrar a ofensiva golpista que tomou de assalto o poder no país é preciso organizar a mobilizar população nas ruas para defender os trabalhadores as estatais e o Brasil de uma forma geral.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas