Assassinos de negros norte-americanos, Ku Klux Klan apoia Bolsonaro: “Eles soa como nós”

sdas

Como tem se visto na prática o fascismo tem ascendido no cenário político e isso se deve preferencialmente pelo estímulo da candidatura do representante da extrema-direita, Jair Bolsonaro. Nos últimos dias, isso se demonstrou pelo apoio de setores tão pérfidos quanto o candidato, em defesa de sua campanha.

Por mais que o presidenciável tente amenizar seu discurso e fazer a boa e velha demagogia, o discurso cai por terra quando se aparece desde a assassino de mulheres o apoiando e até mesmo organizações fascistas e racistas como o Ku Klux Klan. Esta é uma das mais recentes declarações a favor de Bolsonaro. Uma das principais figuras que compôs o grupo racista, David Duke, declarou seu fiel apoio ao candidato da direita fascista.

Em sua fala, o defensor da supremacia branca afirmou “ele soa como nós”, quer dizer, o ex-membro deixa muito claro o que representa o boneco de ventrículo da extrema-direita. É um verdadeiro defensor do massacre da população negra e que não mede esforços para espalhar sua política totalmente antipopular que vai de encontro diretamente com a população mais pobre que é composta majoritariamente por negros.

Portanto, receber este tipo de apoio não seria mera coincidência. A todo momento Duke, afirma que o candidato está aliado àquilo que o mesmo compartilha, que é um nacionalista e se assemelha com o homem branco americano e europeu. Ou seja, o antigo líder do grupo racista derrama elogios a Jair Bolsonaro.

O ex-membro do Ku Klux Kan, também foi um dos articuladores das manifestações supremacistas e nazistas que aconteceram em Charlottesville, onde houve concentração da extrema-direita fascista que promoveu um cruel massacre na região.

Nesse sentido, é preciso ter uma pronta reação ao candidato da direita fascista, impedir o avanço de setores que vêm sendo estimulados por sua campanha. É com o povo nas ruas que se combate o fascismo e impede a ascensão de grupos como os que declaram seu apoio a Bolsonaro.