Assassinato de Marielle: general interventor do RJ faz “acordo de silêncio” com Temer

braga netto

Da redação – O militar interventor no Rio de Janeiro, general Walter Braga Netto se alinhou com Michel Temer (MDB) para manter o silêncio sobre a execução da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ). A crise aberta dentro do bloco golpista é tão grande, que o militar golpista desautorizou abertamente outro golpista, o Ministro da Segurança, Raul Jungmann e o acusou de fracasso total na “investigação” sobre o assassinato brutal da vereadora por policiais milicianos.

Segundo informações na imprensa burguesa, a medida foi tomada frente às constantes falas do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, sobre o caso, causando desconforto para os militares assassinos.

Como este diário alertou, a “batata quente” da “investigação”  foi jogada de uma instância para outra, principalmente, por conta de serem os próprios golpistas os mandantes do assassinato da vereadora.

Afirmamos isso, pois a mesma era a responsável por conduzir o monitoramento da Câmara sobre a intervenção militar, acumulava uma luta na comissão de Direitos Humanos contra os batalhões da morte da PM, contra as milícias de policiais e militares do exército expulsos, deixando claro para qualquer um que conheça esses grupos de extermínio político, os porquês de seu assassinato.