Fora todos os golpistas!
Nota do Coletivo João Cândido sobre as declarações do presidente racista da Fundação Palmares
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
manifestação
Manifestação em Mineápolis, nos Estados Unidos. | Foto: Craig Lassig/Efe

Nota do Coletivo João Cândido sobre as declarações do presidente racista da Fundação Palmares

No dia 2 de junho de 2020, veio a público uma gravação em que o presidente da Fundação Palmares dispara uma série de ataques ao movimento negro brasileiro. Embora nenhuma das declarações cause de fato surpresa, uma vez que Sérgio Camargo nunca escondeu que é um “preto de alma branca”, um negro a serviço dos setores mais reacionários e fascistas da burguesia, elas escancaram que sua função no governo Bolsonaro é a de perseguir e intimidar violentamente os seus adversários. Em um trecho da gravação, Camargo chega a dizer que vai obrigar todos os diretores da Fundação Palmares a denunciarem os “esquerdistas” que estariam empregados no órgão.

Os ataques de Sérgio Camargo ao movimento negro não são por acaso. Na atual etapa de crise capitalista, a burguesia está organizando um aparato de repressão cada vez mais violento para tentar conter, pela força, a reação dos trabalhadores à política neoliberal. Ao mesmo tempo que Camargo declara guerra ao povo negro, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, persegue cada vez mais os professores, estudantes e reitores que se opõem ao regime, os latifundiários estão cada vez mais armados contra os sem-terra e indígenas no campo e as Forças Armadas dão ordens explícitas aos ministros do STF.

Todo o aparato de guerra que a burguesia está preparando para controlar o povo e impor o seu programa de terra arrasada, contudo, não é capaz de deter a mobilização dos trabalhadores. Neste sentido, o caso norte-americano é exemplar: a mobilização fez com que a extrema-direita entrasse na defensiva e o próprio presidente Donald Trump se escondesse em um bunker.

As mesmas tendências explosivas que se verificaram nos Estados Unidos já começam a se expressar no Brasil. Nas manifestações contra a extrema-direita em São Paulo e em Curitiba, os militantes bolsonaristas fugiram para não serem massacrados pela fúria popular ou precisaram ser fortemente escoltados pela polícia. As condições para o enfrentamento são cada dia mais favoráveis.

Diante dessas condições, o Coletivo de Negros João Cândido convoca todas as organizações do movimento negro para um ato público em frente ao prédio da Fundação Palmares, em Brasília. O momento exige que o povo negro e todos os demais setores pisoteados pelo governo Bolsonaro rejeitem qualquer aliança com a burguesia golpista, seja por meio de manifestos, seja por meio do Congresso, e se mobilize para fazer justiça com as próprias mãos.

Companheiros do movimento negro, sigamos o exemplo dos protestos nos Estados Unidos: é hora de agir, com força e com fogo, é hora de se livrar da escória maldita que tomou de assalto a Fundação Palmares!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas