“As consequências da luta entre dois setores do golpe”

edit_mcmgo_abr_2211187496

A Análise Política da Semana, apresentada por Rui Costa Pimenta,presidente do PCO, vai ao ar todos os sábados às 11h30 da manhã, com uma análise dos principais acontecimentos políticos. Na análise do dia 27/4/2019:

“Bom, sobre a crise política nós tivemos um desdobramento que mostra o fator fundamental da situação é que o governo Bolsonaro e o regime político não conseguem escapar da crise que eles mergulharam com o golpe de 2016.

Não vou repetir tudo que a gente tem falado, pois a gente fala disso toda semana.

Mas nós vimos um duro enfrentamento entre dois setores do golpe que são de um lado o pessoal da lava jato que é um setor diretamente ligado ao imperialismo, em que o governo Bolsonaro é uma expressão, e outros setores golpistas direitistas que acabaram dando o golpe e acabaram cortando o galho no qual estavam sentados, que é a maior parte do ST F e que representa a política de um setor do grande capital nacional que é golpista e associado ao imperialismo mas que perceberam que a ofensiva imperialista era muito superior ao que eles pretendiam.

Eles não estavam conseguindo conter a coisa, com a prisão do Michel Temer pela Lava a Jato do Rio de Janeiro. O STF mandou soltar o cidadão, não permitiu a operação Lava a Jato tradicional que é botar o cidadão na cadeia e torturara-lo lá para que ele entregue tudo que o condene e condene outras pessoas.

Isso daí abriu um enfrentamento, a Lava a Jato visivelmente procurou usar com o STF as mesmas práticas de vazamento. Vazaram coisas do imposto de renda do Gilmar, começou a vazar coisas do Toffoli, declarações de pessoas. O STF contra atacou mas de uma maneira totalmente desastrada, Com a censura do jornal, mandou confiscar computadores de pessoas da extrema direita ligadas ao governo Bolsonaro como é o caso do general Paulo Chagas.

Isso abriu uma crise onde a própria burguesia que acha que se deve conter a Lava a Jato achou que exageraram. O jornal O Globo que apoia a Lava a Jato pediu discretamente fosse arquivado. Os outros jornais tipo Estado de São Paulo acharam que se deve investigar os vazamentos. Ou seja, a luta vai continuar. Nós podemos estar assistindo uma luta extremamente acirrada com uma diminuição drástica dos poderes da Lava a Jato devido a burguesia nacional que não quer dar esses poderes ao outro setor da burguesia que é mais diretamente alinhado com o imperialismo.

Mas o fato de que essa crise tenha estourado e que ela tenha se desdobrado em novas crises mostra o nível de enfrentamento que tem dentro do governo, dentro do regime político e dentro da burguesia brasileira.”