Menu da Rede

Dia 18, voltar às ruas por Fora Bolsonaro e todos os golpistas

Calúnias

Uma acusação muito estranha e suspeita

A cada dia que passa, novas denúncias absurdas realizadas por Carmen Silva contra o PCO são feitas e revela uma enorme farsa

PSDB – Foto; reprodução

A expulsão do bloco do PSDB da manifestação pelo fora Bolsonaro no último dia 3 de julho está separando o “joio do trigo” dentro da esquerda. A retirada dos elementos pagos pelo PSDB para levantarem a bandeira tucana na manifestação na Avenida Paulista contou com o apoio quase que integral dos militantes da base das organizações da esquerda e de quem está participando nos movimentos de rua pelo fora Bolsonaro.

Apesar da enorme repercussão e do apoio da base militante pelo fora Bolsonaro, setores muito minoritários da esquerda pequeno-burguesa, em particular de lideranças distantes de sua base, estão utilizando de uma denúncia mais que suspeita para atacar o PCO e tentar expulsá-lo da organização dos atos e das manifestações de rua.

A denúncia é sobre a liderança do Movimento Sem-Teto do Centro (MSTC), Carmen Silva, propagandeada até pela imprensa golpista contra o Partido da Causa Operária. Segundo Carmen Silva, o PCO agrediu a mesma e outras integrantes do MSTC (incluindo crianças) e roubado celulares. “Nesse momento, três membros do movimento MSTC foram agredidos, um na cabeça, outro no estômago e outro no braço. Outros três tiveram seus celulares roubados”, disse Carmen Silva em seu perfil do Instagram.

Em entrevista recente publicada no sítio do PT, Carmen Silva foi ainda mais longe. “Eu me senti surpresa, ultrajada, humilhada, mas como mulher eu não vou me silenciar. Chega desses machos, homens brancos, seja de esquerda, de direita, de onde for. Existe um componente machista e autoritário [na atitude do PCO], que silencia, não admite voz e não respeita ninguém, principalmente mulher”, disse. E ainda na matéria diz “Carmen relembra que essa prática do PCO não é novidade dentro das manifestações. Segundo a dirigente, nos anos de 2014, 2015, durante o golpe contra a presidenta Dilma, os militantes dessa organização também utilizaram de práticas machistas e violentas contra Dilma e suas defensoras”.

Acusações no mínimo suspeitas

As acusações feitas por Carmen Silva são realizadas da maneira mais absurda possível e, pasmem, sem nenhuma prova. Nas imagens do momento do confronto não foram observadas nenhuma pessoa com camisetas ou identificações do MSTC e sequer foi vista alguma agressão a mulheres que se encontravam no meio do entrevero.

Os militantes do PCO que estavam no local relataram que não foi visto ninguém do MSTC e muito menos pessoas que chegaram a abordá-los se identificando como pertencente deste movimento e que estava no local para evitar qualquer confronto.

Dado a gravidade da denúncia é muito estranho que ninguém tenha fotografado os hematomas das supostas agressões ou pessoas que fizeram denuncias públicas sobre o fato.

Outra acusação que levanta ainda mais suspeitas sobre a denúncia é o roubo dos celulares. Em primeiro lugar o que um militante do PCO que estava na manifestação para derrotar Bolsonaro e expulsou a direita se interessaria por roubo de celulares? Fica evidente que é uma denúncia sórdida e com segundas intenções na acusação. Acusação esta que até a imprensa burguesa procurou usar para atacar o PCO, como o SBT que se aproveitou desta calúnia para acusar o PCO de quebrar vidraças e ateado fogo no banco Santander.

A única conclusão é que essas denúncias de Carmen Silva são muito suspeitas e podem conter interesses escusos que não são de impulsiona o movimento fora Bolsonaro, mas para impedir o desenvolvimento desse grande movimento de rua.

Uma invenção porque não existe nenhum traço que isso tenha acontecido

As acusações de Carmen Silva são extremamente graves, mas não no sentido em que a imprensa golpista e setores da esquerda estão colocando. O que deveria chamar a atenção não é a acusação, mas a total falta de provas e fundamento da acusação. Com as milhares de pessoas que observaram o confronto e centenas de jornalistas e fotógrafos no local por que nada apareceu sobre a agressão e o sumiço dos celulares?

Essa afirmação fica ainda mais interessante na entrevista de Carmen Silva onde acusa o PCO de ser machista contra Dilma e as militantes que a defendiam, conforme citado no início deste artigo.

O presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, respondeu essa afirmação no seu perfil do twitter: “É público e notório que o PCO encabeçou o movimento pela anulação do impeachment de Dilma mesmo sem apoio da maioria do PT. O que foi reconhecido em vídeo gravado pela própria presidenta”.

Essa afirmação somada as outras somente deixam evidente que as acusações são mentiras escabrosas e muito difícil de serem consideradas equívocos ou alguma ingenuidade. O que fica evidente é que a cada denuncia as acusações são cada vez mais absurdas e aumenta o tamanho da mentira.

Uma defesa envergonhada do PSDB, Doria, Frota e toda corja tucana

A única conclusão possível de todo esse teatro é de uma armação muito suja. Isso é uma tentativa de contrabalançar a repercussão muito positiva de expulsar o PSDB das manifestações. Há uma enorme rejeição ao PSDB e a expulsão contou com grande apoio da militância dos partidos da esquerda, movimentos sociais e ativistas.

Todas as pessoas, organizações e a imprensa que deu voz as calúnias de Carmen Silva são defensoras da frente amplíssima com a direita golpista e querem o PSDB e não os trabalhadores no ato. Querem usar esse enorme movimento de luta contra Bolsonaro para negociações paralelas que não representam os interesses do povo e muito menos dos manifestantes presentes no local.

Como o PSDB é repudiado pela população, não querem fazer uma defesa aberta dos tucanos e procuram se utilizar dessas calúnias para atacar um dos partidos que mais lutaram contra a direita e o golpe que derrubou Dilma Roussef, contra a prisão de Lula e pelo Fora Bolsonaro.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.