HAMBURGUER_1
SHARE

Bolsonaro feminista?

Anterior
Próximo

Uma máquina de guerra e golpes

Tentativa de golpe em Cuba e o avanço imperialista no continente

Mais uma vez, a defesa da democracia é utilizada como senha para desestabilizar governos e o combate à corrupção é o ouro de tolo dos desavisados

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Joe Biden e Kamala Harris – Reprodução

A tensão no continente aumenta a cada dia. Tentativas de golpe, embargos econômicos e manipulações de todos os tipos estão na ordem do dia. O preço pago a quem não se submete aos ditames do grande capital é alto e desde que a crise do sistema capitalista tomou o planeta o apetite do imperialismo conquistou um novo patamar. Em face da crise capitalista mundial, a política de rapina dos países imperialistas tem ignorado todo o cerimonial diplomático dos tempos de paz e assumido cada vez mais abertamente o caráter predatório e voraz dos grandes monopólios e da banca internacional.

Desde que assumiu a cadeira de presidente dos EUA, Joe Biden (Democratas) tem feito de tudo para não decepcionar os setores da burguesia imperialista. À frente da mesa de negócios do Estado, o mandatário despiu-se da roupagem identitária utilizada para se promover e deu novos rumos à política da maior economia do mundo. Ameças à Rússia, China, Venezuela e, recentemente, a Cuba dão o tom de como a orquestra de guerra dos EUA planeja tratar seus inimigos políticos. Nessa segunda-feira, 12, Biden decidiu dar mais um passo contra Cuba e lançou ataque às autoridades cubanas. Segundo o senhor da guerra, ao invés de protegerem a população da pandemia do novo coronavírus e da dificuldade econômica enfrentada há décadas, estariam elas preocupadas em “enriquecerem a si próprias”. Nada mais cínico! Cuba, ao contrário do que disse Biden, produz uma das vacinas mais eficientes no combate ao coronavírus – a Abdala. Ademais, o sofrimento do povo cubano relacionado às dificuldades econômicas suscitadas é resultado direto do embargo econômico desumano imposto pelos países imperialistas, tendo os EUA como o principal responsável.

Recentemente, em Cuba, uma tentativa de golpe do imperialismo foi malograda. Derrotada pela mobilização popular em apoio ao governo, a operação imperialista não teve êxito. Essa ação, no entanto, ao contrário do que pensava a esquerda pequeno-burguesa, demonstra que Biden está longe de ser um defensor da “democracia” e tampouco é melhor que Trump. Isso pode ser visto uma vez que o governo norte-americano está implementando uma política agressiva contra toda a América Latina – mais agressiva ainda do que Trump. Não foi por acaso que houve uma gigantesca operação eleitoral para elegê-lo. O imperialismo sabia em quem confiar sua cartilha – decidiu eleger Biden e rifar Trump.

Os tentáculos do imperialismo norte-americano não são vistos apenas em Cuba; em outros países da região também é possível vê-los, como na Nicarágua, onde já começou uma campanha golpista contra o governo nacionalista de Daniel Ortega, ou então no Haiti, onde o presidente fantoche do imperialismo foi assassinado provavelmente a mando do imperialismo porque não estava conseguindo controlar a situação diante do ascenso das massas. Mais uma vez, a defesa da democracia é utilizada como senha para desestabilizar governos e o combate à corrupção é o ouro de tolo dos desavisados. De acordo com Ryan Berg, bolsista sênior e acadêmico do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais em Washington, o governo se esqueceu de “reforçar esses movimentos democráticos [grifo nosso] incipientes que poderiam canalizar parte dessa raiva que vemos hoje, em termos de rebeliões, em termos capacidade de combate à corrupção [grifo nosso], em termos de oferecer às pessoas bens socioeconômicos reais”. Segundo Patrick Ventrell, diretor de políticas da América Central no Departamento de Estado, “a tendência é clara que estivemos muito preocupados com as instituições democráticas ao longo do tempo”. Após o assassinato do presidente do Haiti, Biden se pronunciou a respeito. “Os Estados Unidos estão prontos para continuar oferecendo ajuda”, disse. Quando indagado sobre o Haiti e Cuba, o mandatário estadunidense prometeu novidades “Fiquem ligados”, afirmou.

Aos gritos de “liberdade” e “abaixo a ditadura”, uma horda de direitistas saiu às ruas em Cuba no domingo, 11, como correia de transmissão da tentativa de golpe contra o Estado Operário. A Reuters, como um dos principais veículos de comunicação da burguesia imperialista, logo tratou de elaborar uma matéria em apoio aos manifestantes contrários ao governo cubano. Reclamações acerca dos cortes de energia e restrições quanto à pandemia tomaram as páginas da imprensa capitalista. O que ninguém é capaz de explicar, contudo, é o real motivo da falta de energia e da situação econômica do país. Deveras, ao esclarecer a opinião pública corre-se o risco de afundar na própria lama. Outro fato que deve ser considerado é a viagem do chefe da CIA pela América Latina que certamente tem a ver com isso. E quanto à aproximação de Biden com Bolsonaro e dos elogios de Biden ao fascista brasileiro? Não restam dúvidas quanto aos planos do imperialismo para o Brasil. Não será a primeira vez que o imperialismo “democrático” apoiará um golpe contra a população brasileira. Podem apostar! Caso haja necessidade, o imperialismo apoiará Bolsonaro em 2022.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.