Menu da Rede

PCdoB debanda oficialmente para o bloco do PSDB nos atos

Tentativa de golpe frustrada

Povo cubano reage e derrota tentativa de golpe imperialista

A população cubana reagiu prontamente a tentativa de golpe orquestrada pelos Estados Unidos

Presidente cubano Miguel Diaz-Canel – Foto: Reprodução

Publicidade

Não é de hoje as campanhas da imprensa venal contra o governo cubano. No entanto, nos últimos anos – ainda mais durante a pandemia – essas propagandas golpistas orquestradas tem se intensificado. Dia 11 de julho (domingo) uma clara tentativa de golpe do imperialismo foi vista em locais isolados na capital da ilha. O que foi a principio chamado pelos meios de comunicação ligados à burguesia de “protestos espontâneos” contra o governo cubano, continham bandeiras dos Estados Unidos e pedidos de intervenção imperialista ao país caribenho. No entanto, foram rapidamente contidos pela própria população cubana.

Ao contrário do que se espalhou pelas redes sociais (principalmente pelo Twitter e Facebook), a falsa insurreição popular contra o regime cubano não tinha nenhum apoio popular. E não passava de uma tentativa fajuta de desestabilização do governo cubano claramente sob orientações do governo norte americano. O presidente de Cuba Miguel Díaz-Canel apareceu ao vivo na rede nacional de rádio e televisão. Durante suas declarações, o Chefe de Estado denunciou a participação do governo dos Estados Unidos nas históricas ações de desestabilização política que estão ocorrendo contra Cuba e que se intensificaram, especialmente durante a pandemia.

Além da denúncia, Díaz-Canel convocou a população para sair às ruas contra a tentativa golpista, o que foi prontamente atendido em praticamente todas as cidades da ilha e em grande escala.  “Convocamos todos os revolucionários, todos os comunistas para que saiam às ruas e vão aos lugares onde acontecerão essas provocações”, disse. A manifestação contra revolucionária além de pequena foi registrada apenas na capital, apesar de toda campanha mentirosa da imprensa imperialista, o povo não participou da ofensiva golpista.

A imprensa cínica reproduz que os “protestos” se dão pela escassez de produtos básicos e falta de medicamentos durante a pandemia. Mas não apresentam uma linha se quer sobre o embargo econômico, imposto pelos EUA contra Cuba, e nem seus efeitos sobre a população cubana em meio a um vírus mortal que assola o mundo inteiro. É óbvio que o bloqueio é a principal fonte de falta de insumos para medicamentos e produtos na ilha caribenha. Na realidade o bloqueio é um verdadeiro genocídio orquestrado pelos países imperialistas contra países atrasados que são aqueles que não se submetem ao regime desumano e destruidor que é o capitalismo assassino disfarçado de democracia.

É possível notar que a tentativa de desestabilização do governo cubano, aparece logo após 184 países rechaçar e votar contra o embargo econômico sofrido por Cuba pelos EUA desde 1962 em assembleia na ONU – Organização das Nações Unidas – no final do mês passado. Apenas dois países votaram a favor do bloqueio, EUA e Israel. Essa é 29ª vez em que a maioria dos países votam contra o embargo econômico. Segundo o Brasil de Fato, Somente em 2020, durante a pandemia, o país registrou perdas de US$ 3,5 bilhões por conta da imposição do bloqueio, que dificulta o acesso a insumos médicos e produtos básicos de consumo. Ou seja, se Cuba já registrava dificuldade de abastecimento por conta do embargo antes da pandemia, a coisa tendeu a ficar ainda mais difícil.

Durante a gestão de Donald Trump o embargo ainda aumentou com a aplicação de 243 medidas coercitivas unilaterais, afetando diretamente o envio de remessas dos EUA à ilha caribenha e o acesso a combustível. Politica essa que está sendo continuada pelo presidente “maravilhoso” considerado o grande “democrata” Joe Biden. Além do embargo norte americano existe também medidas que penalizam países terceiros que queiram comercializar com a ilha. Apesar dessas medidas criminosas, Cuba foi o primeiro país da América Latina a desenvolver a própria vacina contra a Covid-19, mas conta com doações internacionais para adquirir seringas.

Sobre o embargo econômico, o embaixador venezuelano Samuel Moncada disse na ONU. “A violência econômica se tornou a arma preferida dos Estados Unidos para expandir sua guerra perpétua. Os EUA são uma ameaça para a segurança da humanidade, já que está comprovado que a agressão econômica tem um impacto comparável a uma guerra convencional”. Mesmo enfrentando toda a dificuldade, Cuba é um dos países do mundo com o menor número de mortes e contaminação da Covid-19 em todo mundo (quase 1600 mortes). Já os Estados Unidos, por outro lado, ainda lidera a quantidade mortes pelo vírus até o momento (606 mil).

Nesta segunda-feira (12) para surpresa de absolutamente ninguém, o presidente dos EUA em nota divulgada pela Casa Branca, pediu para que o governo cubano “escute seu povo e sirva suas necessidades neste momento chave, em vez de enriquecer a si próprios”. Está claro que se trata de uma ação orquestrada, da mesma forma que é a propaganda da direita venezuelana, as “manifestações” financiadas pelo Departamento de Estado norte-americano tentam criar uma imagem de descontrole, como se o país estivesse à beira de um colapso social, para justificar o famoso golpe da “ajuda humanitária”.

No entanto, ainda que frustrada a tentativa de golpe em Cuba, derrotada pelo próprio povo cubano, é preciso ficar em alerta máximo as ofensivas do imperialismo. Pois essa não é, e nem será a última vez, que o governo americano ataca países que não se submetem ao seu controle econômico e politico. Tudo isso, demonstra o carácter reacionário e abertamente fascista de como pretende o governo Biden de lidar contra aqueles que acredita ser seus inimigos.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.