Menu da Rede

A mobilização precisa continuar até uma greve geral

Bolsogay e a terceira via

Bolsogay do PSDB manda prender mulher por bater panela

A polícia do PSDB – a mando de seu chefe, tomou a frente na defesa do capitão boçal e tratou de acossar os manifestantes contrários ao desfile da extrema-direita

BolsoDoria e Bolsogay – Reprodução

Publicidade

Neste sábado, 10, uma mulher foi presa pela Brigada Militar do Rio Grande do Sul durante a “motociata” do fascista Jair Bolsonaro. A polícia de Eduardo Leite (PSDB), governador do estado, agiu conforme a maneira tradicional como o PSDB trata os trabalhadores e manifestantes do movimento popular: na base do cassetete e da prisão arbitrária. O caso chamou a atenção nas redes sociais. A polícia do PSDB – a mando de seu chefe, tomou a frente na defesa do capitão boçal e tratou de acossar os manifestantes contrários ao desfile da extrema-direita.

A burguesia é uma classe social astuta, utiliza dos mais variados recursos para enganar os incautos e manter seu domínio sobre o Estado. Mas nem sempre é possível engabelar a todos; principalmente quando a prática não corresponde à propaganda. O PSDB, como partido da burguesia, sem nem mesmo assinar os pedidos de impeachment contra Bolsonaro, vem tentando cooptar setores da esquerda para que o movimento contra o regime golpista se desvie para seus objetivos eleitorais. Os pais do bolsonarismo acharam que o golpe do identitarismo atenderia aos objetivos da Frente Ampla. É preciso, no entanto, ter clareza de uma coisa: a população já os conhece bem. Apesar do esforço da burguesia em emplacar um candidato alternativo a Bolsonaro, é difícil dissociar a forma como ambos tratam os manifestantes contrários ao governo.

Como um rebento e seu progenitor, Bolsonaro e o PSDB, respectivamente, tem em suas veias o mesmo sangue e compartilham do mesmo DNA – são ambos a materialização da ideologia burguesa e da política reacionária de ataque aos trabalhadores e organizações populares. Longe de desferir qualquer ataque aos fascistas, a manifestante estava apenas batendo panela em protesto à motociata fascista. O vereador Matheus Gomes (PSOL/Porto Alegre) chegará a postar em sua rede social tamanha arbitrariedade da polícia de Leite. “Abuso policial! Uma cidadã de Porto Alegre acabou de ser presa por bater panela, enquanto acontecia a motociata de Bolsonaro! Isso é um absurdo! É repressão ao direito de manifestação! Acabei de conversar com pessoas que presenciaram o fato e estamos vendo como auxiliar”, escreveu o vereador.

https://twitter.com/matheuspggomes/status/1413888926960525317

O episódio correu a imprensa e obrigou a Secretaria da Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Sul a se posicionar diante da ação da polícia. Nesse caso como nos outros, a posição tomada foi a da direita e os critérios adotados para tal defesa insultou a complacência dos mais moderados. Segundo a Secretaria, a truculência da Brigada Militar serviu para “evitar um possível acidente”. Ainda segundo eles “apesar das repetidas tentativas das brigadas de afastar a mulher, ela desobedeceu a ordem, desacatou as s que a abordaram, tentou chutar um dos motociclistas e manteve as ameaças de agressão”, o que resultou na condução da manifestante de 47 anos até a 2ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), sendo posteriormente liberada após a produção de termo circunstanciado por desobediência. É evidente que os argumentos contra a manifestante não foram suficientes; os burocratas logo tratariam de forjar um meio de aliviar a pressão sobre eles mesmos. Assim sendo, foi informado que haverá apuração em nome da transparência e do rigor com os fatos, pois, segundo os burocratas, mesmo sendo “uma situação específica, onde apontam evidências que justificam o recolhimento da manifestante”.

Eduardo Leite, como um dos cavaleiro da batalha pela “terceira via”, anunciou seu apoio aos seus servos e enalteceu o papel da Brigada quanto ao tratamento aos manifestantes cuja palavra de ordem Fora, Bolsonaro põe abaixo toda a política de Bolsonaro e do PSDB que, agora se encobre sob a mística do identitarismo. O postulante a candidato da Frente Ampla, o Bolsogay, não foi capaz de se desgarrar do seu afeto com a política bolsonarista e deixou para outra ocasião suas encenações e seu trejeito. Em sua rede social, Eduardo Leite saiu em defesa da polícia. “A Brigada Militar atuou hoje para garantir a ordem e a segurança a manifestantes de ambos os lados – como pode ser visto neste vídeo. No único incidente, diante de ameaças de agressão e desacato a policiais, uma manifestante foi contida e levada à delegacia”, disse.

Assim como fizeram com o cozinheiro que se negou a cozinhar para Bolsonaro no RS, Leite e sua BM não titubearam em repetir a postura da extrema-direita bolsonarista. Sob as luzes do mundo real, o teatro e a fábula dos golpistas perde lugar para as necessidades do próprio movimento. Bolsonaro e o PSDB andam de mãos dadas na luta contra os direitos dos trabalhadores e no ataque a todos os oprimidos. Defensor da prisão da manifestante, Eduardo Leite não poderia permitir que o movimento contrário a sua própria política fermentasse embaixo de seu nariz. Sua polícia já estava a postos para impedir qualquer manifestação contrária a Bolsonaro. Esse situação revela, de maneira cristalina, que – quanto aos tucanos – não existe nada de civilizado nem mesmo uma suposta “oposição” a Bolsonaro. Por isso é um absurdo chamar o PSDB pro movimento Fora, Bolsonaro. Além disso, configura-se como um enorme erro político para toda a esquerda, ajudar o PSDB a se infiltrar nos atos, possibilitando que os mesmos usem o movimento para alavancar seu candidato que pode ser o próprio Eduardo Leite.

 

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.