Menu da Rede

Putin:Ações da Europa no setor de energia é “suicídio econômico”

  • Capa
  • Artigo
  • Bloco Vermelho expulsa gusanos do consulado de Cuba

15 de novembro

Bloco Vermelho expulsa gusanos do consulado de Cuba

Manifestações pró-imperialistas foram um fiasco retumbante

Manifestação em frente ao Consulado de Cuba – Foto: Diário Causa Operária

Receba o DCO no Email

A tentativa de fazer do 15 de novembro um dia de mobilização contra o Estado Operário de Cuba foi um grande fracasso. Pelo menos, no Brasil.

Nos estados em que os gusanos financiados pelo imperialismo decidiram fazer algum protesto, a direita não conseguiu agrupar nem 20 pessoas. Em São Paulo, eram cerca de quinze gusanos, que vieram com flores e cartazes de papelão.

O perfil dos gusanos era o mesmo. Nada tinham a ver com o povo guerreiro de Cuba, que expulsou de suas terras a maior potência militar do planeta. Nem tinham a ver com a história sofrida desse povo, sabotado por todas as frentes através dos criminosos embargos econômicos. Eram todos playboys e patricinhas, que sequer devem saber o nome da capital de Cuba.

Mesmo no caso da corja gusana, que é uma espécie de gangue aloprada de extrema-direita, as marcas do identitarismo se fizeram presentes. Em São Paulo, cerca de um terço eram mulheres — em geral, brancas, loiras e maquiadas (muito diferentes das mulheres trabalhadores cubanas). Claramente a CIA, ou o NED, ou a embaixada dos EUA, pagou pessoas específicas, escolhidas a dedo, para estarem lá. Havia também LGBTs entre os gusanos, a fim de dar a impressão de que são diversificados ou mesmo progressistas. A velha demagogia identitária promovida pelo imperialismo para destruir países inteiros.

Ninguém caiu nesse pega-trouxa, obviamente. As mulheres que pediam liberdade em Cuba são as seguidoras de Damares Alves, que muito bem poderia ser ministra das Mulheres no governo de Adolf Hitler. No que depender dela, quem abortasse ia para a câmara de gás. E os gusanos LGBTs são tão falsos quanto seu amor a Cuba, onde há plena liberdade e direitos para essa população: quisessem tanta liberdade assim, não estariam lambendo as botas do governo Bolsonaro.

A trupe de bestas-feras pagas pelo imperialismo não conseguiu mais do que latir a algumas dezenas de metros do Consulado de Cuba em São Paulo. Mais de cem companheiros, entre militantes do PT, do MST, do PCB, do PCdoB e do movimento popular, com o PCO na linha de frente, protegeram o consulado da extrema-direita e acabaram com a farra dos fantoches de Joe Biden.

No ato, o maior destaque foi para a Bateria Zumbi dos Palmares, animando os manifestantes presentes e amedrontando os gusanos. No que dependesse dos militantes da esquerda, cada vez mais furiosos com os ataques da direita ao povo, teria havido um enfrentamento físico com os gusanos. O povo, afinal, não é obrigado a aguentar calado as palhaçadas da direita imperialista. Vendo-os ali, em ação, tentando invadir o Consulado do único Estado Operário da América Latina, o sangue de cada companheiro ferveu.

A intervenção do PCO no microfone aberto do ato, na pessoa do companheiro Eduardo Vasco, destacou o papel nefasto do imperialismo contra Cuba. Além de impor um bloqueio econômico criminoso há 60 anos, os EUA financiam esses gusanos, principalmente através do “Fundo Nacional para a Democracia” (NED, na sigla em inglês). Comprovando que o inimigo principal é o mesmo, Vasco lembrou que o NED também financia a direita golpista brasileira, como, por exemplo, o Instituto Fernando Henrique Cardoso.

Em determinado momento, o clima esquentou, entre os manifestantes e a dúzia de gusanos. Os militantes do PCO, à frente junto com alguns companheiros do MST, arrancaram cartazes e flores dos provocadores, que tinham como um dos principais objetivos causar confusão, xingando e chamando para briga (logicamente, sempre atrás da polícia) os manifestantes. Filmavam para comprovar aos seus pagantes que o dinheiro desembolsado estava dando algum resultado, ou seja, que eles estavam mesmo fazendo suas provocações.

O enfrentamento, no entanto, acabou por não acontecer, graças à ação da polícia, guarda protetora número um dos picaretas da direita. Como os gusanos já haviam apanhado da esquerda em frente àquele mesmo consulado em duas oportunidades recentes, a polícia foi mais incisiva para garantir que seus cúmplices saíssem ilesos.

Os militantes de base da esquerda, contudo, cumpriram sua missão: deram o seu recado de que a direita não vai pôr abaixo esse patrimônio da classe operária mundial, que é a Revolução Cubana.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.