Menu da Rede

As ruas cobertas de vermelho em todo o País

Golpismo

9 motivos que comprovam que o PDT é um partido de direita

De apoio ao golpe à ataques a soberania nacional, o PDT provou diversas vezes que está do lado da direita

Bolsonaro e Ciro Gomes – Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Publicidade

As manifestações da esquerda pelo Fora Bolsonaro demonstraram a insatisfação da população com este governo e toda sua equipe. Vendo a capacidade de crescimento dos atos e a tendência à radicalização do povo, a direita começa a manobrar no sentido de descaracterizá-las o máximo possível, numa tentativa de sequestrar a manifestação das mãos da esquerda e do povo.

Existe uma tentativa de infiltração de partidos de direita, a exemplo do PSDB, noas atos. Parte da esquerda frente amplista defende isso como uma medida “democrática” e “necessária” para derrubar Bolsonaro. Entretanto, como já dito diversas vezes por este Diário, a direita não tem nada a acrescentar às mobilizações, de nenhuma maneira. Por esse motivo, é importante diferenciarmos bem os papéis de cada movimento, para que essa iniciativa não seja bem sucedida.

Dentre os diversos partidos caracterizado como “democrático” e até de esquerda está o Partido Democrático Trabalhista (PDT). É importante ressaltar que não é porque um partido tem “democrático” no nome que tal caracterização seja verídica. Caso contrário, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e o Democratas (DEM) seriam exemplos a serem seguidos — o que, obviamente, está longe de ser a verdade.

Nesse sentido, é preciso desmistificar que o PDT faz parte da esquerda e até mesmo do dito “campo progressista” — um verdadeiro guarda-chuva que, por uma posição específica e pontual, abriga diversos elementos direitistas. O ingresso de Ciro Gomes no partido marca bem o distanciamento do PDT de qualquer coisa que chegue perto de ser de esquerda. Este partido faz parte da direita brasileira e provar isso não é difícil. Leia a seguir nove motivos que comprovam esta afirmação:

1. O PDT votou a favor do PL da Grilagem

Um dos assuntos latentes dentro da esquerda brasileira nas últimas semanas foi o chamado “PL da Grilagem”. Este projeto de lei institucionaliza e incentiva o processo de grilagem de terras, sendo, portanto, muito criticado pela esquerda, sobretudo pelos movimentos de luta pela terra.

Frente a isso, o PDT, por meio do líder do partido na Câmara, o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), exigiu que toda sua base parlamentar votasse a favor do regime de urgência para o PL — uma posição a favor do latifúndio e, portanto, de direita.

O principal representante e porta-voz do PDT, Ciro Gomes, afirmou em sua conta na rede social Twitter que: “Fiquei feliz com a nota da direção do PDT explicando que a votação da urgência do PL 2633 não significa endosso a esta nefasta proposta. Ao contrário, votaremos contra.” Uma afirmação completamente sem sentido.

É interessante considerar que o PDT abertamente tem ligações com os latifundiários. Um exemplo disso é o senador Acir Gurgacz (PDT-RO), que chega ao ponto de ser integrante da Bancada Ruralista, ou seja, um representante nato do latifúndio.

2. Ataques a Cuba 

O PDT não só é de direita como ainda apoia o imperialismo. Um exemplo concreto disso foi a posição assumida por Ciro Gomes durante as manifestações que ocorreram em Cuba no dia 11 de julho:

Cuba não é uma democracia. As liberdades de seu povo, inclusive de debater, estão suprimidas. O partido comunista cubano e seus chefes decidem o destino do país, ninguém pode saber se a ditadura conta ou não com o apoio da maioria. Outros regimes terríveis como de Hitler, Mussolini e Stálin foram apoiados, por certo tempo, pela maioria do povo — mas esse apoio não os transformou em democracias”.

Fica evidente o tamanho da calúnia. O direitista chega a comparar o regime cubano com o nazismo e o fascismo, afirmação comparável à constatações direitistas como “o nazismo é de esquerda”. No vídeo em que declara isso, Ciro Gomes, além de apoiar a política imperialista, ainda cria uma brecha para atacar o PT e fazer propaganda eleitoral de si mesmo.

3. Partido de Tabata Amaral 

Outra figura que foi destaque dentro do PDT é a deputada Tabata Amaral. Ela surgiu impulsionada pela imprensa capitalista e foi ganhando espaço na política nacional, quase “do nada”. Apresentou-se como liderança jovem, afirmando que a juventude estava cansada da política tradicional e que direita e esquerda não explicam mais o mundo de hoje. Ela também afirma que irá renovar a política, participando inclusive de uma ONG chamada RENOVABR, que se propõe a treinar novas lideranças — entre essas ldieranças podemos encontrar pessoas ligadas ao Partido Novo, PSL, Rede e PPS, ou seja, setores da direita nua e crua.

A deputada também se orgulha de ter estudado na Universidade de Harvard, a mesma que a de Sérgio Moro. Isso se deu através de uma bolsa de estudos da Fundação Lemann que, por sua vez, é um braço forte do imperialismo no Brasil.

Outros exemplos que descrevem bem essa figura peculiar da política brasileira são suas posições, que confirmam mais uma vez a posição do PDT sobre o imperialismo: Tabata defendeu a Reforma da Previdência, chegou a declarar apoio à uma possível invasão dos EUA a Venezuela e a afirmar que “em um futuro, acho que vale sim uma discussão nesse sentido” quando perguntada sobre o fim do ensino público superior gratuito. A deputada ainda está presente em fotos aos sorrisos com figuras direitistas como o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Tábata Amaral realizou todas essas ações enquanto era filiada ao PDT. No momento, entretanto, a deputada se encontra sem filiação partidária.

4. Votou a favor do golpe 

Esse é definitivamente um dos tópicos praticamente indiscutíveis desta lista. Não existe desculpa que o PDT e seus representantes consigam dar para simplesmente terem 12 de seus 18 deputados na época votando a favor do impeachment de Dilma Rousseff.

Ao procurar nas redes sociais do PDT e de seus líderes é possível encontrar ataques ao PT de todas as formas. Vídeos, textos e imagens são dedicadas a uma campanha eleitoral infinita que é focada sobretudo em ataques a Lula. Uma campanha antipetista que nunca parou de fato e que contribuiu para o golpe dado pela direita à ex-presidenta Dilma.

5. Posições antipopulares 

É fato que as políticas defendidas pelos partidos direitistas não são populares, e a população sabe bem disso. Após fatores como a posição favorável à intervenção militar no RJ, a entrega da base de Alcântara, o posicionamento a favor do golpe e a favor da prisão do Lula, o PDT não consegue mais esconder seus aspectos direitistas.

O PDT é recheado de defensores do imperialismo, defensores dos latifundiários e defensores da burguesia. Suas posições apoiam a repressão da população pobre e a devastação do país, estando quase sempre em conformidade com as posições da direita.

6. Tentativa de expulsão do PCO

A campanha de calúnias encabeçada sobretudo pelo PDT  ao PCO também demonstra seu caráter direitista. Militantes do PDT acusaram o PCO de agredir mulheres em algumas cidades, tendo sido o caso mais significativo o acontecido em Florianópolis, Santa Catarina.

Essas acusações são falsas. Mas foi uma provocação montada para que, em SC, o PDT iniciasse uma campanha de expulsão do PCO das manifestações. Em uma reunião antidemocrática, o PCO foi expulso da Frente Fora Bolsonaro da região. O caso é detalhado pelo companheiro Matheus Vetter, de Santa Catarina:

7. Apoio à intervenção militar no RJ

É “sério, competente e de elevado espírito público”, afirmou Ciro Gomes sobre o general interventor, Walter Braga Neto, que comandou a intervenção militar no Rio de Janeiro em 2018. Na Câmara, o PDT votou unanimemente a favor da intervenção, ou seja todos os seus 15 deputados afirmaram a posição do partido de apoio ao massacre da população pobre carioca — no Senado a aprovação também foi unânime.

É importante lembrar, diante deste fato, que 2018 foi o ano que contou com o maior número de mortes causadas por policiais no Estado em números oficiais. Uma pesquisa feita após 10 meses de intervenção pela plataforma Fogo Cruzado registrou aumento em diversas ocorrências como mortes de crianças e adolescentes, mortes por balas perdidas e quantidade de tiroteios e sua duração.

8. Entrega da Base de Alcântara

O PDT foi um dos partidos que apoiou a entrega da base de Alcântara aos norte-americanos. Na época, partidos como PCdoB e PSB também defenderam a entrega do patrimônio nacional ao imperialismo, o que fez com que a esquerda jogasse o PDT dentro do guarda-chuva progressista novamente e afirmasse que o apoio dos três era algo inesperado.

Entretanto, como visto em vários exemplos anteriores, o PDT tem uma forte ligação com o imperialismo e desta vez não foi diferente. A base de Alcântara, além de fazer parte do território nacional, é o melhor lugar no mundo para se lançar um foguete ao espaço — a entrega representou um ataque à soberania nacional e ainda por cima colocou deu um espaço ainda maior para o imperialismo norte-americano.

9. Feudo da família Gomes

É evidente que o nome do principal representante do PDT, Ciro Gomes, apareceu diversas vezes nesta matéria. Isso porque Ciro é um oligarca que efetivamente controla o PDT , fazendo com que suas declarações e posições sejam acatadas pelo partido, e não o contrário.

Ciro Gomes passou por partidos como PDS, PMDB, PSDB, PPS, PSB, PROS — partidos oriundos da ditadura e/ou abertamente direitistas. Em suas diversas tentativas de se candidatar à presidência da república, Ciro conseguiu manter a posição de “candidato fixo” para esse papel dentro do PDT, o que não havia conseguido cumprir em outros partidos. A propaganda, as ações e as declarações do PDT giram quase exclusivamente em torno de Ciro Gomes, e a opinião do oligarca sempre parece aparecer antes da posição do partido.

Todos os fatos citados acima cotam com a presença de Ciro, prestando solidariedade ou dando apoio — ele tenta passar uma imagem nacionalista, fazendo demagogia com o antigo PDT e seu já falecido líder, Leonel Brizola. Entretanto, como visto acima, não existe nada de nacionalismo nas posições de Ciro e, consequentemente, na posição do PDT.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.