Argentina volta à escravidão econômica: Macri empresta mais US$3 bi do FMI

fmi

Da redação – O governo direitista do presidente da Argentina, Mauricio Macri, decidiu escravizar ainda mais a economia do país e solicitou a liberação ao Fundo Monetário Internacional (FMI) de US$ 3 bilhões adicionais, informe vindo do ministro da Fazenda, Nicolás Dujovne.

O acordo que tem prazo contratual de quatro anos, vai até junho de 2020, sendo que a dois meses o FMI repassou US$ 15 bilhões ao país.

Como afirmado neste diário operário quando se oficializou a primeira movimentação, o povo não quer esse empréstimo, tampouco, as consequências sociais que ele traz. E isso, porque, num país onde os golpista levaram a economia com inflação de 20% ao ano, somado ao reajuste salarial de apenas 15%, sofrer a ampliação dos cortes de gastos com a população é um ataque frontal aos trabalhadores.