Argentina vai ter greve geral contra as políticas neoliberais de Macri

no al fmi

Da redação – As centrais sindicais da Argentina estão convocando mais uma greve geral contra Mauricio Macri. Na próxima terça-feira (30), o país vai parar mais uma vez para que os trabalhadores possam demonstrar sua oposição às políticas neoliberais de Macri.

Ano passado, em setembro, os trabalhadores fizeram uma greve geral contra o acordo de Macri com o FMI. Apesar da greve, Macri firmou o acordo, pelo qual receberia até 2021 o valor de US$57 bilhões. O acordo prevê uma série de medidas neoliberais, que Macri já adotou, como o corte de subsídios para os mais pobres, que estão tendo dificuldades para pagar seus gastos mais básicos.

Dessa vez, no entanto, a situação é diferente. As eleições estão se aproximando, e Macri chegou a anunciar medidas que vão contra seu programa neoliberal para tentar conter a greve. Macri anunciou, por exemplo, o congelamento de preços de 60 itens básicos. Mas apesar dessas tentativas, a greve está mantida.