Argentina: trabalhadores realizam jornada de protestos contra ataques neoliberais do golpista Macri

Paritarias-docentes-La-Plata-23-07-18-2

Buenos Aires, Prensa Latina A capital argentina e outras 49 cidades vivem hoje uma jornada de protesto com várias organizações sociais que exigem terra, teto, trabalho e um aumento nas compensações sociais, entre outras reivindicações.

Em uma quarta-feira que promete ser agitada, as palavras de ordem, o toque de tambores, as bandeiras, os cartazes e as colunas de manifestantes se apoderarão da movimentada avenida 9 de julho e outras ruas desta cidade, uma imagem que se repetirá em outras partes do país como Jujuy, Misiones, Santiago del Estero, La Rioja, Mendoza e La Pampa.

Liderada por organizações como a Confederação de Trabalhadores da Economia Popular (CTEP), a Corrente Classista e Combativa (CCC), Favelas de Pé, a Frente Popular Darío Santillán e a Frente de Organizações em Luta (FOL), a ‘jornada nacional de luta’ somará um grito coletivo para dizer basta aos aumentos de alimentos e nos preços dos serviços.

Desde cedo esperam-se concentrações em três lugares bem movimentados da capital, um deles na praça Congresso, nas proximidades do Poder Legislativo.

Outras organizações, como o grêmio dos transportadores ou a Associação de Trabalhadores dos Estados, exigirão o ajuste econômico do Governo.

Um dos pedidos urgentes será de negociações salariais que contemple os aumentos da cesta básica de alimentos e das tarifas dos últimos meses.

Mas os manifestantes também exigirão perante o ministério de Desenvolvimento Social a implementação da urbanização dos bairros populares e fundos para a infraestrutura social.