Argentina: morre fundadora das Avós da Praça de Maio, aos 95 anos

maria isabel

Da redação – Nesta segunda-feira (20), morreu María Isabel ‘Chicha’ Chorobik de Mariani, uma das fundadoras das Mães da praça de Maio. O grupo procurava crianças desaparecidas durante a militar argentina, que durou de 1976 a 1983. As crianças eram roubadas de militantes políticos assassinados sob custódia do Estado argentino durante a ditadura. As mães desses militantes, avós das crianças roubadas, organizaram-se ainda durante a ditadura para procurar seus netos, em um contundente protesto silencioso que desafiava a repressão. María Isabel morreu sem localizar sua neta, Clara Anahí.

María Isabel sofreu um acidente vascular cerebral no dia 7 e não se recuperou mais. Seu funeral aconteceu em La Plata, a 60Km da capital Buenos Aires. Foi também em La Plata que Clara Anahí desapareceu, sequestrada por um policial depois que sua mãe, Diana Teruggi, militante dos Motoneros, foi assassinada pelos militares. María Isabel foi uma das 12 fundadores das Avós da Praça de Maio em 1977, organização que ela presidiria até 1989. Depois María Isabel fundou a fundação Clara Anahí, para tentar encontrar sua neta.

O roubo sistemático de crianças, que foram “adotadas” por casais simpatizantes do regime de extrema-direita, é um dos aspectos mais sombrios da ditadura argentina. As Avós da Praça de maio estimam em cerca de 500 crianças desaparecidas dessa forma durante o governo ditatorial. Até hoje, 128 foram identificadas, podendo conhecer seu verdadeiro passado e tornando possível para suas famílias um reencontro muito esperado. Atualmente, o grupo das Avós é presidido por Estela Carlotto, que reencontrou seu neto em 2014.