Golpe na AL
Tudo isso não passa de manipulação. O intuito é na verdade criar uma popularidade de votos em torno da candidatura Carlos Mesa, que é uma candidatura impopular
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
LUCHO
Luis Arce, candidato do MAS que lidera as eleições na Bolívia, fazendo campanha nas ruas | Foto: Reprodução

Na reta final da campanha presidencial na Bolívia, a direita prepara o ato final da consolidação do golpe no povo. O plano agora é dizer que os votos da atual presidente, Jeanine Añez, que desistiu de disputar as eleições, estariam migrando dela para Carlos Mesa – o candidato que está em segundo lugar na disputa.

Luis Arce, o Lucho, do MAS(Movimiento Al Socialismo), está em primeiro lugar e com chances de levar já no primeiro turno, assim como Evo Morales ganhou no primeiro turno ano passado, mas foi derrubado pelos golpistas. Para que não houvesse segundo turno seriam necessários 40% dos votos e uma vantagem mínima de 10 pontos para o segundo colocado.

Conforme última pesquisa, Arce teria 30%, Mesa 24%, e Luis Camacho, da extrema-direita, subiu de 6 para 12%.

Com esses números, a imprensa e a direita local vociferam o “voto útil” contra o MAS entre a população e entre os oposicionistas. Jeanine não se pronunciou oficialmente sobre quem apoiar, mas fala em união contra “retrocessos na democracia”, pois são contra o retorno do MAS. Existe uma pressão para que Camacho também renuncie sua candidatura em torno de Carlos Mesa e dessa união contra o MAS. 

Tudo isso não passa de manipulação. O intuito é na verdade criar uma popularidade de votos em torno da candidatura Carlos Mesa, que é uma candidatura impopular, e que já perdeu na eleição passada para Evo Morales, e forçar um segundo turno.

Faltando 14 dias para a eleição, a tensão aumenta no país. Nas ruas vem ocorrendo enfrentamento entre militantes do MAS e os anti-masistas – grupos que atacam o MAS.

Hoje mesmo, nesta tarde de segunda (05), a Justiça burguesa acabou não atendendo uma ação no TSE boliviano que eliminaria a legalidade do MAS. A pressão é tão grande que não tiveram coragem nesse momento de validar tamanha arbitrariedade. Após esse resultado houve confrontos nas ruas de La Paz.

A direita, apoiada pelos órgãos subservientes ao imperialismo como a OEA e a União Europeia, preparam o aprofundamento do golpe nestas eleições. O objetivo e não deixar de forma alguma que o MAS, com Luis Arce, ganhe as eleições.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas