Privatização do BB
Direção golpista do Banco do Brasil aprofunda os ataques aos trabalhadores através do Plano de Adequação de Quadro
Banco do Brasil #BB #Economia #Emprego #JornaldosCanyons
Em SC, dez funcionários foram deslocados para cidades muito longe de suas residências. Reprodução |

A política de privatização em andamento no Banco do Brasil, realizada pelo governo ilegítimo/fascista Bolsonaro e seus prepostos à frente da empresa, através da reestruturação, que já fechou centenas de agências no País inteiro, com a demissão em massa de trabalhadores, descomissionamentos, etc., implantou um famigerado plano de ataque aos bancários nas agências e dependências do banco.

É o tal PAQ (Plano de Adequação de Quadros), que está mais para Plano de Aterrorizar o Quadro de funcionários. Em nome de “reorganizar” as unidades onde houve alterações de dotações em relação à movimentação de pessoal, a direção golpista do BB está aterrorizando os trabalhadores com a transferência compulsória dos mesmos. O mais recente ataque aconteceu no estado de Santa Catarina, onde 10 funcionários foram removidos para outras cidades muito distantes das suas dependências de origem. Há funcionários que foram transferidos para outro Estado onde a distância do seu antigo local passa de 300 km.

Mais essa medida, absurda, da direção golpista do banco, visa aumentar o clima de terrorismo nos locais de trabalho, além de transformar a vida dos funcionários afetados num verdadeiro caos em que terão que deslocar todos os dias em longas distâncias para poderem trabalhar.

Há por parte dos golpistas uma política deliberada de transferir o patrimônio do povo brasileiro para as mãos de meia dúzia de banqueiros e capitalistas em crise. Recentemente o presidente golpista do BB, Rubem Novaes, reafirmou, em audiência pública no Congresso Nacional, ser favorável à privatização do banco, tanto ele quanto o Ministro da Economia, Paulo Guedes, como também o fascista Bolsonaro.

É necessário organizar imediatamente uma reação à política de terra arrasada dos golpistas para com as empresas públicas. Da mesma forma que estão articulando em relação à Petrobras, Caixa Econômica Federal, Eletrobras e tantas outras empresas públicas, os trabalhadores do Banco do Brasil e suas organizações devem organizar uma gigantesca mobilização, juntamente com os demais bancários e trabalhadores, a luta pelo fim do regime golpista e retirar o País do caos que está mergulhado, através da greve geral de toda a categoria contra os ataques dos banqueiros e seus governos que tenha, também, como palavra de ordem fundamenta o Fora Bolsonaro, eleições gerais já.

Relacionadas