Aprenda como lutar contra os bolsonaristas, participe da 43ª Universidade de Férias do PCO

bolsonarista

Acabou deu tomar posse o governo ilegítimo de Jair Bolsonaro, eleito por meio de processo fraudulento realizado sem a

participação do único candidato que tinha um verdadeiro apoio popular, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado sem provas, mantido como preso político e cuja candidatura foi cassada em aberta violação à Constituição Federal.

Em seu discurso de posse anunciou o propósito de “acabar com o socialismo”, depois de ter feito campanha prometendo “metralhar os petistas” e perseguir toda a esquerda e todos os que lutam em defesa dos interesses dos explorados. De imediato, adotou uma série de medidas de ataque. Anunciou notórios reacionários, como o ex-juiz fascista Sérgio Moro, para compor o governo; decretou a redução do miserável salário mínimo provisionado pelo governo golpista de Temer; colocou nas mãos do Ministério da Agricultura, comandado por uma defensora do agronegócio e do latifúndio assassino, o poder de demarcação das terras indígenas e dos quilombolas.

É apenas o começo de um governo que, para defender os interesses, do grande capital internacional – principalmente norte-americano – quer privatizar as aposentadoria, as universidades públicas, todas as estatais e entregar toda a riqueza nacional.

Toda esta política reacionária dos bolsonaristas, da direita e extrema-direita que integram o governo só pode ser derrotada por meio de uma ampla e revolucionária mobilização popular, nas ruas.

Para levar adiante essa luta é preciso entender de modo profundo o que está acontecendo, os antecedentes históricos dessa situação e preparar-se intensamente para as importantes batalhas que estão por vir.

Este é um dos objetivos centrais da 43ª Universidade de Férias do PCO, que acontece de 12 a 26 de janeiro próximos. Neste
ano, o mais tradicional e mais prestigiado curso marxista do Brasil, terá como tema será Fascismo: o que é? Como combatê-lo? 

O evento reveste de importância fundamental, constituindo-se em uma verdadeira escola para a luta de classes em sua etapa atual. Trata-se de analisar e compreender o fascismo, movimento político de extrema-direita, fundado por Benito Mussolini na Itália em 1922, e passou a denominar também todos os movimentos análogos que se espalharam no mundo entre as duas grandes guerras, como o Nazismo de Adolf Hitler na Alemanha ou o Integralismo de Plínio Salgado no Brasil.

No curso, ativistas da luta dos trabalhadores e da juventude de todo o País poderão conhecer esse movimento que, como qualquer outro de extrema-direita, provém de setores descontentes da burguesia, quando o imperialismo entra em crise. E que busca arregimentar pela via moral elementos da pequena-burguesia com motivos de ordem moral excludentes, maniqueístas, que visam a “separar o joio do trigo”, como a “luta contra a corrupção”, a “luta pela limpeza étnica”, a “luta pela retomada de valores religiosos” etc.

Bolsonaro é um fascista declarado: defende a discriminação de negros, mulheres e homossexuais, prega abertamente a perseguição, prisão e extermínio das organizações populares e de suas lideranças, diz que vai extinguir o comunismo do Brasil. Como parlamentar, seu feito mais marcante foi ter declarado seu voto pelo impeachment de 2016 como uma homenagem à “memória de Carlos Alberto Brilhante Ustra, o terror de Dilma Rousseff” – o maior e mais cruel torturador à frente das forças de repressão durante a década de 1970.

O fascismo de Bolsonaro  pode tornar-se fascismo de Estado. E são várias as iniciativas iniciais que mostram uma tendência nesse sentido, como o controle do governo pelas alas mais reacionárias das Forças Armadas, do DEM, do PSDB e da direita de um modo geral.

A política da direita contra o povo tende a levantar um amplo movimento de luta.  Mas para ser vitoriosa essa luta precisa ser preparada e organizada com base um solido conhecimento do inimigo que está para ser enfrentado. A 43ª Universidade de Férias do PCO será uma escola da luta pelo “fora Bolsonaro e todos os golpistas” e, portanto, deve ser prestigiada e apoiada por todos os que entendam a necessidade dessa luta.

As vagas para a Universidade de Férias são limitadas e já há quase uma centena de inscritos, de todas as regiões do País.

Para se inscrever ou obter maiores informações, procure as sedes do PCO, acesse aqui ou ligue (de qualquer lugar do País) para (11) 98589-7537 (TIM), (11) 96388-6198 (Vivo), (11) 97077-2322 (Claro) ou (11) 93143-4534 (Oi).