Coronavírus
As autoridades sanitárias do governo do Rio de Janeiro, sob comando de Wilson Witzel (PSC), distorcem os dados e afirmam que há redução de 82% no número de mortes
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
RJ - OPERAÇÃO PLACEBO/RIO/WITZEL/ARQUIVO - POLÍTICA - Foto de arquivo de 26/12/2019 do   governador do Rio de Janeiro, Wilson   Wiztel   (PSC). A Polícia Federal (PF) cumpre mandado de busca na manhã desta terça-feira,   26, no Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador do Rio, Wilson   Witzel. A ação faz parte da Operação Placebo, desencadeada para apurar indícios de   desvios de recursos públicos destinados ao atendimento do estado de emergência de   saúde pública do coronavírus no Estado do Rio de Janeiro.   26/12/2019 - Foto: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO
Governador fascista Wilson Witzel (PSC): manipulação dos dados para esconder o genocídio. | Foto: Wilton Junior

Até a última sexta-feira (14), o estado do Rio de Janeiro registrava 14.507 óbitos e 189.891 casos de Covid-19. As autoridades sanitárias do governo Wilson Witzel (PSC) afirmam que a pandemia está em franco declínio, com queda de 82% no número de mortes em virtude da doença.

O painel de acompanhamento da pandemia do governo estadual, Painel Coronavírus, aponta para a redução significativa dos casos neste mês de agosto. O governador Witzel disse que:

Fomos pioneiros no país em apoiar o isolamento social, decretando medidas restritivas antes mesmo de termos o primeiro óbito registrado. Nossa atuação preventiva foi determinante para termos queda dos óbitos de forma antecipada em relação aos outros estados, e para pouparmos mais de 125 mil vidas. Reforço ainda minha solidariedade às famílias que tiveram entes vitimados pela doença”.

A pandemia avança por todo o país, vitimando milhares de pessoas diariamente. O Estado do Rio de Janeiro, totalmente dilapidado pela política neoliberal aplicada pelos governos burgueses, impede que haja uma estrutura real de enfrentamento à doença. Diante da difícil situação do estado, é completamente fraudulenta a afirmação de que há queda no número de mortes.

Para justificar a política de reabertura das atividades, o governador fascista manipula os dados para esconder a realidade da população. É a mesma política dos demais governadores golpistas, que, por sua vez, atende aos interesses da burguesia, que pressiona para a retomada de todas as atividades na expectativa de impedir uma falência generalizada das empresas.

É necessário destacar que a pandemia do COVID-19 está totalmente fora de controle. Os poderes públicos estadual e municipal sequer têm condições, em tempos de relativa normalidade, de suprir a demanda de atendimento na rede básica de saúde para a população. No Rio de Janeiro, são frequentes as denúncias de faltas de leitos hospitalares, falta de profissionais da saúde e material básico para a rede de saúde, bem como da ausência de infraestrutura adequada para prestar um serviço de qualidade.

O governo Witzel, reconhecido pela brutalidade e pela violência com que trata a população, em especial  a população pobre das favelas cariocas, implementa uma política do tipo nazista, de “deixar morrer quem tiver que morrer” e manipular os dados que são informados ao público.

É necessário denunciar a ocultação da realidade e manipulação dos dados da doença. Os governadores golpistas, em consonância com Jair Bolsonaro, administram o morticínio que avança pelo país. O nazista Witzel se destaca por ser um dos mais sanguinários, capaz até mesmo de comemorar o assassinato por parte da polícia.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas