Apoio ao golpe: Globo veicula ameaça de golpe militar sem dizer que é uma ameaça

maxresdefault

Nesta terça-feira, dia 03/04, o Comandante do Exército Brasileiro, General Eduardo Villas Bôas deu várias declarações a respeito da situação política nacional, que soaram como uma ameaça extremamente preocupante. Através de sua conta no Twitter, o General fez dois posts, transcritos abaixo na íntegra:

“Asseguro à Nação que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia, bem como se mantém atento às suas missões institucionais.”

“Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?”

As declarações do General Villas Bôas aparecem em um cenário de extrema polarização política e acompanha outras declarações de militares que constantemente têm ameaçado dar um Golpe de Estado no Brasil. O próprio Villas Bôas já havia se posicionado anteriormente afirmando que as Forças Armadas poderiam intervir na situação política, deixando bem clara a postura golpista que as Forças Armadas assumiram após o Golpe que destituiu a Presidenta Dilma em 2016.

Mais grave do que isso foi a veiculação das declarações do General em rede nacional através do Jornal Nacional, transmitido pela Rede Globo na noite de ontem. A Rede Globo, que foi um dos pilares de sustentação do Golpe de Estado no Brasil em 2016, agora se coloca ao lado dos militares golpistas e faz propaganda de uma intervenção nacional em horário nobre.

Na voz do ancora do programa, William Bonner, o Jornal Nacional reproduziu os Twets do General Villas Bôas em tom declarado de ameaça no seu último bloco, mostrando que ficará ao lado dos setores golpistas contra o povo em caso de um Golpe Militar. Vale ressaltar que essas declarações aparecem um dia antes de um dos julgamentos mais importantes na história do país, que será realizado no Supremo Tribunal Federal (STF). O STF irá julgar um pedido de habeas corpus preventivo apresentado pela defesa do ex-presidente Lula que pode evitar que Lula seja preso após a condenação em segunda instância.

Nesse sentido, fica muito claro que a intenção dos militares é pressionar o plenário do STF através destas ameaças para que o Supremo tome uma decisão desfavorável a Lula. Os militares, apoiados por importantes setores da burguesia nacional e do imperialismo, estão prontos para dar um Golpe e transformar o regime político em uma ditadura aberta contra o povo e estão sustentados pelo monopólio da imprensa golpista.

Essas declarações devem fazer soar o alarme de toda a esquerda e do movimento popular como um todo, pois o fechamento ditatorial do regime político significaria o esmagamento das organizações operárias, camponesas e de esquerda como um todo. É necessário fazer uma ampla denúncia do golpe que está sendo preparado pelos militares, posicionar-se abertamente contra a intervenção dos militares do Rio de Janeiro e fortalecer a luta contra a prisão de Lula e o avanço do Golpe de Estado.