Apoiadores dos assassinatos da Polícia vaiam Roger Waters por homenagear Marielle Franco

roger-waters-marielle-franco

Em sua passagem pelo Rio de Janeiro, o músico e fundador do Pink Floyd, Roger Waters homenageou a vereadora assassinada pela direita Marielle Franco. No espetáculo, nesta quarta-feira (24), no Maracanã o músico, sob uma chuva fina, recebeu no palco a filha, Luyara Santos, a viúva, Mônica Benício e a irmã, Anielle Franco. Os familiares de Marielle entregaram uma camiseta ao músico, que prontamente vestiu, com os dizeres “lute como Marielle Franco”.

Waters cedeu o microfone as familiares que juntos entoaram o coro do “ele não”, em repugnância ao fascista Jair Bolsonaro, candidato à presidência, ainda, Mônica Benício afirmou: “isso aqui é uma família quer eles gostem ou não” e continuou: “São 224 dias sem resposta. Não há democracia enquanto o Estado não responder”. Uma parte da plateia vaiou a ação, enquanto outra apoiou e aplaudiu.  O cantor ainda citou, durante o espetáculo, nominalmente quatro parlamentares recém eleitas no Rio, Renata Sousa, Dani Monteiro, Mônica Francisco e Taliria Petrone, todas do Psol e afirmou: “Elas representam a semente que Marielle Franco plantou em sua vida curta, mas importante”.

Os Bolsonaristas, ignorantes, brutos e fascistas, que estavam presentes no espetáculo, alguns com a camisa do candidato fascista entoaram seu grito de guerra : “mito”, além da vaiarem, a maior parte, no entanto aplaudiu a homenagem.

É evidente que os Bolsonaristas apoiam o assassinato de Marielle, assim como apoiam os assassinos de farda e suas ações nefastas. Devido a sua total ignorância e indigência não compreendem a posição democrática e progressista do artistas, vão ao espetáculo para vaiar o grande artista que queriam ver.

Promovem uma perseguição a um  grande músico de 75 anos – que em sua  turnê “Us + Them”, que passa pelo Brasil, já denunciou o fascista Bolsonaro, homenageia o Mestre Moa do Katende, assassinado por um bolsonarista, e Marielle Fraco, vítima da regime golpista no país – mostrando que são verdadeira escória humana.