Apagando o racismo com o Photoshop: escola manipula foto para parecer inclusiva

emil cohl

A escola de Design Emile Cohl, de Lyon, na França realizou uma das propagandas mais aberrantes e racistas já vistas. A escola está para expandir-se internacionalmente, irá abrir um polo em Los Angeles, na Califórnia, EUA.

Como parte da divulgação do novo polo, publicou-se uma foto que reunia diversos estudantes, todos brancos. No entanto, para parecer mais inclusiva e diversa, recorreu a um expediente um tanto chocante. A mesma foto foi manipulada (Photoshop), onde escureceu-se alguns alunos e foram introduzida duas jovens negras, que nem mesmo estavam na foto original. Assim a foto pareceu mais inclusiva e imune a críticas de racista, sem a necessidade da presença de nenhum negro.

Uma ação que afirma o racismo como ideologia, ao mesmo tempo procura se aproveitar de maneira demagógica do prestígio da luta dos negros. É nesse sentido um retrato fiel da ideologia imperialista dos movimentos identitários que pululam na esquerda.

Um site francês analisou a foto que fora publicada nas redes sociais e constatou ser de fato uma montagem, que classificou como medíocre, grosseira, para uma escola design. A escola retirou a foto e culpou uma agência de comunicação pela manipulação.