Ao lado dos golpistas: ex-candidata do PSTU quer Lula na cadeia e prisão de mais petistas

vera lucia

A ex-candidata do PSTU à presidência da República, a cientista social Vera Lúcia, declarou em entrevista ao jornal Hora News que o PT não deveria defender a liberdade para Lula e ainda mais, que deveriam ser presos outros petistas acusados de corrupção.

Segundo a ex-candidata: “tanta coisa importante para se fazer nesse país e o PT se lança numa cruzada para soltar Lula, como se ele fosse uma vítima. A questão não é soltar Lula, é prender o resto. Esse bando de corrupto que se vende, ficam milionários enquanto os trabalhadores e os mais pobres padecem. O que falta é prender todos os corruptores que compram políticos e partidos para favorecer seus negócios à custa da exploração e da vida dos trabalhadores”. Tal declaração pode parecer, para algum desavisado, que se trata de alguma “estrela do MBL“ ou de algum empresário magnata fascista. Mas na verdade se trata da ex-candidata do PSTU, uma candidata de um partido que se apresenta como de extrema-esquerda. Para quem acompanha a trajetória desse partido, que rachou após o apoio explícito ao golpe de Estado de 2016, é na verdade a continuidade de um caminho sem volta para um agrupamento que resolveu “jogar no time do imperialismo“.

A afirmação de que Lula deveria estar preso, quando mesmo os juristas moderados ou de direita reconhecem que não há qualquer base para a prisão do ex-presidente, e mais, que não há qualquer elemento que indique um ato ilícito praticado, é absurda para uma pessoa comum, sem maiores informações. Em se tratando de um partido de esquerda, se torna uma declaração bizarra. A ex-candidata ignora completamente o golpe de Estado operado em 2016 pelo imperialismo juntamente com a burguesia brasileira para destruir completamente qualquer resquício de direitos da classe trabalhadora brasileira. O PT é o alvo do golpe e da operação Lava Jato, não porque exista qualquer interesse em combater a corrupção, mas porque o PT é o maior partido da esquerda brasileira e com maior potencial de impor uma resistência a esse plano de terra arrasada para o Brasil. Repetir a campanha caluniosa da direita golpista brasileira é fazer uma frente única com a política para implementar uma ditadura fascista no Brasil que pretende acabar com qualquer direito que os trabalhadores já conquistaram um dia.

O PSTU é um partido pequeno-burguês que nunca baseou sua política na luta de classes e na necessidade de organização da classe trabalhadora para tomar o poder. Esse partido é um dos principais defensores da ideologia “democrática” do imperialismo, disseminada em grande escala após o fim da União Soviética. Essa ideologia defende a existência de uma suposta democracia baseada em instituições sólidas e onde todos podem desfrutar os seus direitos. Nesse caso, caberia a um partido como o PSTU, aparecer ao máximo para conseguir eleger uma bancada de deputados para participarem da “festa da democracia“ brasileira. É justamente essa compreensão equivocada, baseada numa ideologia imperialista que fez o partido mergulhar de cabeça em mais uma campanha golpista para manter o Brasil como uma colônia dos Estados Unidos e da Europa. Na tentativa desesperada de conquistar uma parte do eleitorado do PT, o PSTU mergulhou de cabeça numa das campanhas mais asquerosas da direita brasileira. Tal posicionamento bizarro não é uma novidade para um partido completamente perdido que apoiou o golpe militar no Egito, o golpe fascista na Ucrânia, apóia o golpe na Venezuela etc.