Porto Seguro (BA)
PSOL faz campanha em favor da direita e da ditadura do TSE para ganhar alguns votos do PCO em um oportunismo sem tamanho
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
freixo janaina (1)
O PSOL sempre em agrados com elementos da direita golpista | Foto: Reprodução

A candidata a vereadora do Partido da Causa Operária no município de Porto Seguro, Bahia, Danielly Crespi, está sendo mais uma vítima da ditadura do Tribunal Superior Eleitoral com a tentativa de tirar a candidata das eleições municipais deste ano.

O TSE tenta indeferir a candidatura que está realizando uma campanha em torno da denúncia do processo eleitoral antidemocrático, do fora Bolsonaro e da unidade da esquerda em torno do ex-presidente Lula para as eleições de 2022, além de outras pautas como a defesa da mulher, dos trabalhadores e contra a direita.

A decisão do TSE em perseguir e retirar mais uma candidatura que representa os trabalhadores não é nenhuma novidade e nem de deixar nenhuma pessoa chocada. Isso porque o TSE cumpre um papel fundamental para manter as eleições nas mãos da direita golpistas e dos patrões, sem nenhum espaço para o trabalhador.

O que no caso de Porto Seguro revelou foi a postura do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) diante da tentativa de cassação da candidatura de Danielly Crespi. Diante da decisão ditatorial do TSE contra a candidatura do PCO, o PSOL iniciou uma campanha vergonhosa para obter mais votos na cidade.

Contatos e simpatizantes do PCO iniciaram uma campanha de divulgação dos nossos materiais nas ruas e nas redes sociais porque gostaram das palavras de ordem colocadas pelo partido, como o Fora Bolsonaro, defesa de Lula contra a direita, legalização do aborto, construção de um partido revolucionários entre outras pautas. Diante da divulgação, a direção do PSOL na cidade enviava um “print” antigo do sítio do TSE que mostrava o indeferimento da candidatura de Danielly Crespi (PCO) para esses contatos e simpatizantes do PCO para dizer que não precisava fazer campanha ou votar no PCO porque a candidatura estava impedida de participar das eleições.

Ou seja, o PSOL de Porto Seguro numa campanha extremamente suja e de deixar a direita com inveja, faz uma enorme campanha da ditadura do TSE para ganhar alguns votos em vez de solidarizar com a candidata e denunciar essa ditadura contra a esquerda e candidaturas que defendem as mulheres e os trabalhadores.

Ditadura do TSE

O TSE está criando a cada eleição medidas para controlar ainda mais as eleições para impedir candidaturas que representem candidatos ou partidos ligados aos trabalhadores para evitar qualquer discussão sobre o processo eleitoral e que as eleições são um jogo de cartas marcadas.

Há diversas formas de realizar esse processo, como foi visto no impedimento da candidatura de Lula em 2018 que levou a uma fraude eleitoral maior ainda e foi responsável pela subida de Jair Bolsonaro a presidência. São medidas burocráticas ou decisões completamente arbitrárias de juízes controlados pela burguesia.

Para partidos pequenos e candidatos independentes da burguesia há uma enorme dificuldade em cumprir as exigências burocráticas do TSE. São inúmeros documentos, assinaturas, certidões e prestações de contas impossíveis de cumprir sem um grande aparato de advogados e contadores. Sendo que candidatos e partidos da esquerda independente cumprem com uma enorme dificuldade.

As eleições controladas pelo TSE demonstram uma profunda ditadura onde juízes “todo poderosos”, não eleitos, sempre ligados a direita e a burguesia, decidem que candidatos podem participar das eleições, se estão adequados e os que podem ser eleitos.

Oportunismo do PSOL

A recusa do PSOL em denunciar a ditadura do TSE e se solidarizar com a esquerda, fazendo propaganda da ditadura do TSE para tentar desmoralizar o PCO e obter alguns votos demonstra o caráter e o método político de favorecimento da direita.

O PSOL sempre serviu como um instrumento da direita para atacar a esquerda, em especial o Partido dos Trabalhadores. Muitas vezes a burguesia se utiliza de seus candidatos, que possuem um oportunismo e um vale-tudo eleitoral, para tirar votos do PT para que candidatos da direita saiam fortalecidos.

O que PSOL em Porto Seguro está fazendo demonstra um oportunismo que é visto nacionalmente no partido. Se aproveitam dos ataques da esquerda para obter vantagens em todos os ataques da direita. Vimos isso principalmente na operação golpista da Lava Jato e do juiz Sergio Moro.

Desde o início da operação Lava Jato atacando o PT e seu governo, o PSOL se colocou ao lado da direita e a favor da operação golpista no sentido “lucrar” com a tentativa de destruição do PT realizada pela direita.

Isso foi visto em outros momentos como a candidatura de Heloísa Helena em 2006, “Não vai ter copa”, e a campanha de Boulos em São Paulo. O PSOL em todos os momentos se aproveita dos ataques da direita para obter vantagens sobre a esquerda, vide a lava jato

Propagandear a ditadura do TSE para ganhar votos

Ficou evidente que a medida tomada pelo PSOL de Porto Seguro em fazer propaganda do indeferimento da candidatura da companheira Danielly Crespi é muito oportunista e coloca em xeque o que propagandeiam de uma “nova política” e contra a direita. Não denunciar a ditadura do TSE em exigências burocráticas para cassar candidaturas que não tem ligação com a burguesia e a direita é uma forma de corroborar com a direita golpista que controla o TSE.

A situação expôs o oportunismo do PSOL a tal ponto que até a presidente do partido na cidade, Caroline Lima, se pronunciou com desculpas esfarrapadas que não enganam ninguém. Se fossem contra a ditadura do TSE teriam se pronunciado contra esses ataques em vez de ficar mandando para as pessoas que iriam votar no PCO, e que divulgavam materiais da campanha, mensagens que a candidatura estava indeferida.

O jogo sujo é tamanho que, na cidade, o PSOL está sendo utilizando pela direita para tirar votos da candidata do PT e eleger um bolsonarista para a prefeitura de Porto Seguro. O candidato Chico Cancela é afagado pela direita e sua imprensa, como blogs e sites da internet com boas matérias e propagandas de suas propostas “esquerdistas” e participando de atividades organizadas pela direita. A direita conta em Porto Seguro com três candidatos bolsonaristas que possuem ampla rejeição na cidade e a estratégia é impulsionar uma candidatura da esquerda, que não possui nenhuma chance e que não represente nenhum risco aos patrões, para retirar votos do PT na cidade. E isso ocorre pelo Brasil afora.

A decisão do PSOL em fazer propaganda da ditadura do TSE demonstra que o PSOL não quer fazer nenhuma luta. A verborragia de sua direção serve apenas como demagogia eleitoral nos momentos de eleição e passando esse período sua política fica paralisada.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas