HAMBURGUER CE1920
SHARE

Mais uma propaganda eleitoral do PSDB para “combater” Bolsonaro

Assista e Compartilhe

Análise Política da Semana: “o namoro de Biden e Bolsonaro”

Rui Costa Pimenta abordou os principais acontecimentos políticos da semana, como a Cúpula do Clima, as relações entre Biden e Bolsonaro e a candidatura de Lula.

A Análise Política da Semana é o programa de maior audiência da Causa Operária TV. – Reprodução

Neste sábado, 24 de maio, a partir das 11h30, foi ao ar mais uma edição do programa Análise Política da Semana, apresentado pelo companheiro Rui Costa Pimenta, presidente nacional do Partido da Causa Operária (PCO).

A Análise Política é o programa mais tradicional da grade de programação da Causa Operária TV (CoTV). Rui analisa os principais acontecimentos políticos da semana, nos âmbitos nacional e internacional, sob uma concepção marxista, focada na análise do desenvolvimento da luta de classes. Os espectadores interagem com Rui, fazem perguntas, enviam superchats.

O programa tem por finalidade esclarecer o sentido dos principais acontecimentos políticos, numa perspectiva de orientar a intervenção da esquerda, sindicatos, movimentos populares e da população em cada passo da luta política.

Rui Costa Pimenta abordou a questão do encontro da Cúpula do Clima. O discurso do presidente fascista Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido) sobre os problemas ambientais do Brasil deixou claro que não há um antagonismo entre ele e Joe Biden. Pelo contrário, há uma espécie de namoro entre os dois, o que indica que Bolsonaro é visto como uma alternativa ou única alternativa para a garantia dos interesses imperialistas e pode ser apoiado nas eleições se não houver uma alternativa burguesa “democrática” para assumir seu lugar.

A imprensa falava sobre um ataque duro do governo americano em relação ao governo brasileiro. O tom ameno e os acordos esclareceram que não se trata disso. Joe Biden procura colocar os Estados Unidos na posição de grandes defensores do meio ambiente mundial, ainda que eles sejam, na realidade, os principais destruidores e poluidores. A Amazônia é tratada como um problema que não diz respeito aos brasileiros e aos países sul-americanos amazônicos, mas como uma questão de “todos”, isto é, do bloco composto pelos Estados Unidos e União Europeia.

A situação indica a continuidade da política golpista na América Latina. A aparência “democrática” do governo norte-americano, apresentada por Biden, é uma forma de tentar manter as classes médias de esquerda e direita atreladas ao regime democrático-burguês, dominado pelo imperialismo. A esquerda diz que Bolsonaro está isolado e não tem apoio dos americanos, o que não é uma realidade. A política imperialista não tem qualquer disposição de aceitar a volta do Partido dos Trabalhadores (PT) ao poder no Brasil, mesmo que para isso seja necessário fazer um arranjo político com Bolsonaro.

A confirmação pelo Supremo Tribunal Federal da anulação das sentenças contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi um acontecimento político significativo desta semana. A suspeição do ex-juiz Sérgio Moro não significa que ele é carta fora do baralho. As sentenças foram anuladas, mas não os processos. Estes serão redistribuídos para outros juízes das varas do Distrito Federal e São Paulo, que podem condenar Lula com base nas mesmas provas fraudulentas da Operação Lava Jato.

A candidatura do ex-presidente Lula não está garantida. O STF pode realizar outras manobras para cassar seus direitos políticos e inviabilizar sua candidatura. Nem mesmo a imprensa capitalista consegue esconder a popularidade de Lula, que aparece em primeiro colocado em todas as pesquisas de opinião e potencial de votos. Na visão de Rui, somente a mobilização popular pode garantir a candidatura do ex-presidente.

A esquerda nacional desencadeou uma onda de declarações de otimismo nas redes sociais com a medida do STF. Até mesmo se disse que o Judiciário brasileiro, pilar do golpe de Estado de 2016, da fraude eleitoral de 2018 e que referendou todas as medidas de retirada de direitos, “recuperou sua credibilidade” e “restaurou a democracia”. Para estes setores, que não têm consciência e clareza política sobre o que está acontecendo, as perseguições políticas contra Lula agora cessaram. Nada mais longe da realidade.

O programa político apresentado pelo PT foi objeto de discussão. A formulação de um determinado conjunto de ideias no papel, embora tenha sua importância, não é o fator determinante. As relações entre as classes sociais e o poder político são mais complexas. Lula é um perigo para a burguesia por sua capacidade de mobilizar a população, independentemente da burguesia e sua imprensa, o que o credencia objetivamente como uma alternativa de poder no cenário eleitoral. O caráter progressista da candidatura do ex-presidente se dá pelo fato de ser uma ameaça para o equilíbrio das forças políticas no atual momento, desestabilizando o regime oriundo do golpe de 2016.

O problema do programa é uma questão que deve ser discutida pelos setores de esquerda que apoiam a candidatura de Lula. O arco de alianças também é um problema. Setores da direita do PT procuram uma aliança com os partidos da burguesia, pois consideram isto como importante para ganhar a eleição. Acontece que os partidos burgueses não têm voto e tampouco a classe dominante está disposta a aceitar Lula.

A capacidade de desenvolver uma política de relativa independência pelos governos do PT é um perigo para a burguesia. Os governos nacionalistas-burgueses da América Latina tendem a escapar do controle. Por isso, são ameaças para o imperialismo. A mobilização das massas é o único elemento que pode impor os interesses do povo e enfrentar a dominação estrangeira e seus associados internos. A eleição será uma guerra, muito longe do paraíso esperado pela esquerda pequeno-burguesa.

Assista a Análise Política da Semana:

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.