Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Análise Política da Semana, o programa semanal da Causa Operária TV com transmissão no Facebook, Youtube e Rádio, fez uma importante discussão sobre a principal tarefa da classe operária brasileira no início de 2018, a realização de um gigantesco ato em defesa de Lula em Porto Alegre no dia 24 de janeiro de 2018. Na última análise foi debatido longa e principalmente a questão da perseguição ao ex-presidente Lula e as ameaças dos militares de um aprofundamento do golpe no país.

O companheiro Rui C. Pimenta debateu com maior profundidade toda a questão política, econômica e social que envolve a perseguição a Lula, o golpe sobre Dilma Rousseff e o PT – mas principalmente contra o ex-presidente Lula, inclusive pela questão do que significaria sua possível vitória para o  mercado financeiro especulativo e imperialista.

Análise Política da Semana: as declarações do General Heleno sobre Lula 1

No trecho transcrito a baixo, o camarada coloca o problema dos militares – que já ameaçam há mais de um mês – às claras. Lê a última ameaça dos mesmos feita pelo General Augusto Heleno, que está na reserva e participou das operações no Haiti – comandadas pelos imperialistas dos EUA de forma arbitraria como sempre -, e que apresenta a política mais bem acabada dos militares para a atual situação. É necessário que todos os trabalhadores entendam essa situação, pois agora o exército pede a prisão de Lula sem provas.

Parte da declaração feita pelo General divulgados em grupos intervencionistas de extrema-direita:

“Os brasileiros com vergonha na cara, não podem aceitar que o chefe da quadrilha, que arruinou o país, seja candidato ao mais alto cargo da República, se valendo de chicanas jurídicas. Isso é um deboche, um murro na nossa cara.

Os idiotas da objetividade dizem que não há provas. Há sim. Inúmeras.

[…]

Agilizem os processos e coloquem essa máfia onde já devia estar: atrás das grades. Danem-se os prazos e os embargos. Não está em jogo esquerda, centro ou direita, estatismo ou liberalismo, presidencialismo ou parlamentarismo. Trata-se da sobrevivência do Brasil, que anunciado muito tempo como o País do porvir, transformou-se em uma multidão angustiada, face ao triste futuro que se desenha no horizonte, se essa corja se mantiver no poder.”

Os militares estão impacientes e querem que Lula seja preso. Se ele for preso e a população, em escala nacional, se revoltar, os militares podem assumir o controle, do jeito que for necessário. Se Lula não for preso, os militares podem considerar que o país e o Poder Judiciário está “tomado pela corrupção”, e, assim, entrar em cena.

De toda maneira, o dia 24 de janeiro é um passo importante na luta contra o golpe, contra a condenação e prisão de Lula. É preciso aumentar as caravanas de todos os estados para impor uma dura derrota aos golpistas e suas instituições.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas