Amplia-se a frente única contra o futebol brasileiro e o craque Neymar

neymar

A frente única que se formou durante a Copa do Mundo da Rússia para atacar o futebol brasileiro e seu principal expoente dentro de campo, o craque Neymar, não para de ganhar adeptos. Dessa vez o ataque veio do ex-jogador da seleção holandesa e do Milan, Marco Van Basten. O ex-centroavante – que atualmente faz parte de um grupo de estudos técnicos da FIFA (sabe-se lá o que isso representa ou para que serve) – se junta, dessa forma, às dezenas de “especialistas” que estão muito ocupados em descarregar suas baterias contra o futebol pentacampeão do mundo.

Van Basten declarou que “eu acho que simular não é uma boa atitude. Eu acho que você tem que ter espírito e isso não vai te ajudar. Eu acho que ele pessoalmente deveria entender essa situação (globoesporte, 13/07)”. O holandês é, neste sentido, mais uma peça na abjeta engrenagem mundial que vem atacando o futebol brasileiro, e em particular o jogador Neymar, que foi dura e intensamente caçado dentro de campo pelos adversários. A arbitragem do mundial, não raras vezes, fez vistas grossas para as agressões sofridas pelo craque brasileiro. Na prática, o que se viu foi a mais completa conivência dos árbitros com as grotescas e violentas faltas sofridas por Neymar dentro de campo.

Outro que soltou a língua contra o atacante brasileiro foi o ex-goleiro dinamarquês Peter Schmeichel, pai do atual goleiro da seleção da Dinamarca. O ex-goleiro estava no mundial a convite da emissora russa RT Sport. Schmeichel disse que “meu Deus, Neymar ganhou o prêmio de melhor jogador da partida, mas a FIFA tem de olhar para a maneira como ele se comportou nesse jogo (contra o México). Não consigo achar outra maneira de descrever que não seja lamentável” (idem, 13/07) disparou o ex-goleiro. O ataque do dinamarquês foi feito Justamente na partida em que Neymar foi mais caçado e agredido – quando levou um pisão do mexicano Layún – no momento em que já estava no chão, em consequência de mais uma falta violenta que havia sofrido.

A pesada artilharia dirigida contra a Seleção brasileira e seu craque maior é a confirmação do complô conspirativo que se formou em torno aos esforços para desestabilizar o time brasileiro, o que acabou determinando a eliminação do Brasil nas quartas de final para uma seleção européia. A verdade é que os pernas de pau mundo afora não podem conviver e menos ainda admitir a superioridade incontestável do futebol brasileiro.