Campanha pela privatização
Os interesses capitalistas avançam dentro do Botafogo para a imposição da privatização
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
fogão torcida (1)
A massa botafoguense é a única esperança de defesa da história e da vida do grande clube Fogão | Foto: Reprodução / Brasil247

A campanha a favor da privatização do Botafogo Futebol e Regatas é intensa, além da imprensa capitalista, que há mais de um ano vem dando muita publicidade à investida capitalista pela privatização do primeiro grande clube brasileiro, dentro do próprio clube e alinhado com os interesses externos o projeto capitalista fincou (após as últimas  eleições para direção do clube) dentro do próprio clube os homens que tem a incumbência de trabalhar pelo golpe contra o futebol brasileiro. Podem achar um exagero essa colocação, mas é exatamente assim, a vitória deste projeto, levado a frente por: Durcesio Mello, presidente eleito, apoiado pelos principais membros do grupo como Manoel Renha e Carlos Augusto Montenegro.

Estes homens que representam a vanguarda reacionária para vender e propagandear a farsa do clube empresa através do grande Botafogo de futebol e Regatas, clube que mostrou ao mundo o futebol arte brasileiro, através de Gérson, Didi, Garrincha e centenas de outros craques ao longo de sua história, agora avançam e organizados por este grupo onde o mais poderoso e experiente é Carlos Augusto Montenegro (que possui fortes relações com a Rede Globo, até pelo fato de ser presidente do Ibope) e já logo após as eleições vencidas por seu grupo declarou ao ser perguntado pela imprensa sobre qual é a linha dos eleitos no clube, o mesmo reforçou o discurso de que o projeto capitalista está “bem encaminhado”. E ao ser perguntado “e se a S/A não vingar?”, foi taxativo: – Não conto com essa possibilidade.

Neste sentido, nesta semana nos sites do clube e redes sociais a campanha da já dada falência do clube continua sendo levada a frente. Nestas redes soltaram que o nada interessado nesta política privatizante para todos os clubes do país, o site Uol, vinculado à Folha de São Paulo realizou um levantamento sobre os gastos com os jogos dos Clubes brasileiros.

E no site do Botafogo, assim começam a matéria: “Com o Estádio Nilton Santos, o Botafogo, em grave crise financeira, é o quarto com maior prejuízo do Brasileirão, totalizando R$ 1.119.504,12 até agora. O Glorioso está atrás apenas de Atlético-MG (R$ 1.126.614,99), Fluminense (R$ 2.050.661,11) e Flamengo (R$ 2.066.403,65).” Já chama a atenção a colocação inicial do Estádio Nilton Santos, os capitalistas quando querem impor estas políticas privatizantes não é segredo pra ninguém, querem lucrar com vendas, então por si só, este é um fato em que a torcida botafoguense tem que ficar atenta.

No decorrer da matéria citam que o Botafogo é o quarto maior em prejuízos com a manutenção dos jogos em seus estádios. Tais valores reais ou falsos, só tem um objetivo, estão sendo divulgados como forma de propaganda para o clube-empresa.

As dívidas acima, não são as únicas, tampouco o Botafogo é o único clube com dívidas milionárias. Também há outras dívidas acordadas entre governo e clubes através do Profut que permitiu a vários clubes a possibilidade de parcelamento dos débitos com a União em até 240 parcelas mensais, com redução de 70% do valor das multas, 40% do valor dos juros e o perdão de 100% dos encargos legais. No entanto, o artigo 16 do Profut impõe a “imediata rescisão do parcelamento, com cancelamento dos benefícios concedidos: a falta de pagamento de três parcelas”. Dentro do Profut há o Cruzeiro, que está na Série B do brasileiro, que não conseguiu saldar seus pagamentos e foi excluído do Profut.

Neste ranking de dívidas o Cruzeiro ocupa o segundo lugar do pódio, só está atrás do Corinthians, que ocupa a posição de maior devedor em termos de débitos com o Governo Federal, com R$ 341,7 milhões em dívidas com a União. Os 5 maiores débitos com o governo são: 2° Atlético-MG, que deve R$ 329,8 milhões; em 3º o Botafogo, com R$ 258,8 milhões; em 4º o Flamengo, que tem R$ 192,8 milhões e em 5° o Fluminense com um débito de R$ 181,5 milhões com a União.

Com tamanha crise financeira, o Botafogo é apenas o primeiro por suas debilidades ao avanço capitalista de privatização, a conseguir seu intuito, logo o ataque avançará sobre outros grandes do futebol do país. É necessário o repúdio geral à privatização do Botafogo e a organização das torcidas contra tamanha expropriação do futebol brasileiro, fator que atacará no cerne a maior paixão do povo brasileiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas