Censura e intimidação
Ex-assessor de deputado direitista procurou intimidar e censurar jornalista de esquerda do DCM. É preciso denunciar essas ações e organizar a esquerda para reagir contra isso
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
deputado conte lopes
O deputado Conte Lopes, cujo ex-assessor ameaça de morte jornalistas de esquerda | Foto: Reprodução

O jornal online de esquerda Diário do Centro do Mundo (DCM) protagonizou recentemente uma história que mostra a forma como a direita tem agido contra jornalistas ou veículos de comunicação ligados à esquerda que se coloquem em seu caminho ou procurem criticar a sua conduta.

Em uma matéria intitulada “Bolsonarismo sem Bolsonaro: MamãeFalei contra Padre Júlio e a nova onda de ódio nas redes sociais“, o jornalista Pedro Zambarda procura demonstrar como direitistas que não estão diretamente ligados a Bolsonaro (apesar de serem todos apoiadores do presidente ilegítimo em menor ou maior grau), praticam o fascismo e atacam figuras de esquerda nas redes sociais.

Entre os denunciados por Zambarda, está o ex-assessor do deputado Conte Lopes, do PP, chamado Leonardo Antonio Corona Ramos. A matéria conta como o ex-assessor fez ameaças à jornalista Patrícia Lélis, ex-namorada de Eduardo Bolsonaro, e agora ligada à esquerda. A matéria publicou resposta do próprio deputado Conte Lopes – que respondeu que a história sobre as ameaças seria “mentira” e que “não possui ligação com as ações de seu ex-assessor”.

Posteriormente, a namorada de Corona Ramos realizou ameaças contra o jornalista, que foram seguidas de ameaças do próprio Corona, via Whatsapp. segue transcrição abaixo:

“Seu filho de uma putinha. Escuta aqui, quem você acha que é para postar uma matéria defendendo uma puta mitomaníaca? Você não tem medo de apanhar na rua seu gay de merda? Você deveria pensar muito bem antes de postar coisas envolvendo o Conte e todas essas suas fantasias. Seu merda. Apaga o c*ralho dessa matéria seu filho de uma puta! Jornalista de merda. Quer dar o cu? Acha quem quer te comer seu bosta. Tá recebendo quanto pra postar essa merda?” (sic).

A linguagem, tipicamente fascista, demonstra que o direitista age sem o menor receio de uma eventual represália. Ele exige que apaguem a matéria escrita contra ele, como se fosse um direito dele poder censurar um veículo de comunicação. Posteriormente, o ex-assessor adicionou o repórter em um grupo de Whatsapp, para em seguida enviar mensagens que configuram ameaças abertas de morte contra ele:

“Esse vai ser o último aviso que eu vou dar. Apaguem a matéria envolvendo meu nome. Porque se não a próxima matéria vai ser de quantos tiros vocês levaram”.

Esse modo de agir está relatado em diversas histórias envolvendo Corona Ramos. Demonstra, principalmente, qual será a política da extrema-direita contra a imprensa de esquerda, de agora em diante. Após os ataques hackers contra este Diário, seguido de ataques hackers contra outros veículos de esquerda como a Ponte Jornalismo e o jornal A Nova Democracia.

É preciso realizar uma campanha de denúncia dessas tentativas de censura e de intimidação por parte da direita e da extrema-direita contra os veículos de esquerda. Além disso, deve-se reagir à altura, não apenas através da lei, mas também desenvolvendo um comitê de autodefesa da esquerda no ambiente virtual, da mesma forma que fora dele. A extrema-direita entende apenas a linguagem da força, sendo essa a única forma de impedir que eles subjuguem todas as organizações populares e progressistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas