Siga o DCO nas redes sociais

Pela liberdade de ir e vir
Amanhã tem novo ato contra o aumento da tarifa em Brasília
Além de abusivo, o aumento das passagens de transporte público retira o direito da população ir e vir, encurralando o povo na periferia e aumentando a exclusão social.
manifestação 2
Pela liberdade de ir e vir
Amanhã tem novo ato contra o aumento da tarifa em Brasília
Além de abusivo, o aumento das passagens de transporte público retira o direito da população ir e vir, encurralando o povo na periferia e aumentando a exclusão social.
Manifestação contra o aumento as passagens em Brasília. Foto: DCO
manifestação 2
Manifestação contra o aumento as passagens em Brasília. Foto: DCO

Nesta terça-feira (21), está sendo organizado mais um ato contra o aumento do preço do transporte público de Brasília. O ato será realizado às 18 horas na Praça do Relógio. O primeiro ato ocorreu dia 14, com a participação de cerca de 1500 pessoas e o segundo dia 17, todos com com intensa participação dos militantes do Partido da Causa Operária e da Aliança da Juventude Revolucionária , que além de distribuir panfletos , reforçou a campanha pelo FORA BOLSONARO , empunhando cartazes e palavras de ordem.

O governo de direita do Distrito Federal, de Ibaneis Rocha, autorizou o aumento do valor da passagem para R$ 5,50. Diante das dificuldades e arrocho que a população vem sofrendo desde o golpe de 2016, e considerando-se que Brasília oferece um dos piores sistemas de transporte público do país, a única justificativa a ser considerada para o reajuste é a ganância dos empresários de transporte em aumentar seus lucros uma vez que não se observa nenhuma melhoria nas condições de transporte para a população.

O aumento da passagem de ônibus constitui-se em mais um ato de violência contra o povo brasileiro, pois aumenta as dificuldades da população em se locomover livremente na cidade , encurralando o povo na periferia da cidade. Os valores praticados são proibitivos para a imensa massa desempregada e para a grande maioria da população remunerada com o salário mínimo da fome, os limitando unicamente ao ir e vir de seus postos e impedindo o lazer das famílias o que intensifica a exclusão social.

O governo reacionário de Ibaneis, assim como o do fascista Bolsonaro , além de toda a direita, tem claro entendimento da necessidade de limitar o ir e vir do povo, e das consequências desta liberdade para a emancipação da classe trabalhadora e da população em geral. Por isso é imperativo que o povo seja aprisionado nas periferias e seja destituído do conhecimento que a liberdade de locomoção proporciona.

Não se trata apenas de lucro e sim de dominação social também. Setores da esquerda pequeno- burguesa, ao se aliar com a direita visando os interesses eleitoreiros como querem setores do PT, ou por espaço dentro do parlamento burguês, como faz o PC do B , nada mais fazem do que ajudar na opressão e exclusão da classe trabalhadora.

Todos ao ato desta terça, às 18 horas na Praça do Relógio em Brasília!