Aliança entre Rússia e Venezuela dificulta manobra do imperialismo para derrubar Maduro

putin maduro

Na última quinta-feira (25), o governador do Estado venezuelano de Miranda, Héctor Rodriguez, levou uma delegação a Rússia para celebrar acordos econômico-comerciais com  empresários russos. O encontro entre os venezuelanos e os russos ocorreu no evento do Comitê Nacional para a Colaboração Econômica com os Países Latinoamericanos (CN CEPLA).

Os empresários russos manifestaram interesse em investir na indústria têxtil venezuelana, na modernização de aeroportos e de aeroportos. Isso manifesta a aproximação da Venezuela com a Rússia, que, além de estabelecerem um ótimo diálogo político, contrário ao imperialismo americano, possuem pactos relativos ao comércio de hidrocarbonetos.

Como consequência das imposições pelo imperialismo americano de sanções econômicas sobre a Venezuela, este país sofre com a restrição na aquisição de medicamentos e alimentos, com o impedimento de poder renegociar sua dívida e comercializar com determinadas empresas e países.

Fora isso, há a ameaça de golpe sobre a Venezuela, uma vez que o presidente venezuelano Nicolas Maduro no começo do mês de agosto deste ano foi vítima de um atentado com bomba veiculado por drones.

O fortalecimento dos laços econômicos e comerciais com a Rússia servirá para que o mercado venezuelano possa sobreviver diante dos embargos do imperialismo. Além disso, essa aproximação corresponde a uma aliança contra o golpe imperialista que ameaça constantemente a Venezuela, do mesmo modo que a mesma Rússia aliou-se com os sírios contra as constantes agressões do Estado criminoso judaico e do imperialismo norte-americano.