Derrota da direita
Com 82,35 por cento dos votos apurados, a frente que apoia o governo do presidente venezuelano Nicolás Maduro, venceu as eleições parlamentares com 67,6 por cento dos votos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
A voter chooses his candidate next to a mural of late Venezuelan President Hugo Chavez during presidential elections in Caracas, Venezuela, Sunday, May 20, 2018. Amidst hyperinflation and shortages of food and medicine Chavez successor, President Nicolas Maduro is seeking a second, six-year term in an election that a growing chorus of foreign governments refuse to recognize after key opponents were barred from running. (AP Photo/Ariana Cubillos)
Eleições na Venezuela | Foto: Reprodução

O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE) deu informações preliminares sobre o resultado das eleições para a Assembleia Nacional  (parlamento unicameral) do país sul-americano, realizadas em 6 de dezembro. Segundo a reitora do CNE, Indira Alfonzo, após computar os primeiros resultados, o Grande Pólo Patriótico Simón Bolívar atinge o maior número de votos.

A  líder do órgão eleitoral venezuelano informou que as primeiras contagens dão ao Grande Polo Patriótico Simón Bolívar (formado pelo PSUV e mais oito organizações chavistas) 67,6 por cento dos votos. A  Aliança Democrática (AD/Copei/CMC/AP/El Cambio) obteve 944.665 mil votos (17,95%). A Aliança Venezuela Unida (Voluntad Popular / Primero Venezuela/ Venezuela Unida) conquistou 20.502 mil votos (4,19%), enquanto que a Aliança Popular Revolucionária (oposição de esquerda, liderada pelo Partido Comunista e outras três  organizações chavistas, ficou com 143.917 (2,73%)

Indira Alfonzo explicou que o dia transcorreu com tranquilidade e com a participação de 31 por cento dos 20.710.421 eleitores possíveis inscritos nos cadernos eleitorais.

Os eleitores do país sul-americano foram às urnas neste domingo com o objetivo de constituir a Assembleia Nacional, em um processo que registrou 14.400 candidatos de 107 organizações políticas.

Do mesmo modo, a CNE informou que funcionaram 14.221 Centros de votação distribuídos por todo o território nacional. Na Venezuela, o voto não é obrigatório e é considerado um direito humano.

Foram eleitos 277 parlamentares que constituirão a nova Assembleia Nacional pelos próximos cinco anos. Isso representa um aumento de 66% no número de deputados.

As autoridades eleitorais destacaram o cumprimento das medidas sanitárias para prevenir o contágio da Covid-19 e o clima democrático e seguro em que o dia passou.

O presidente da República, Nicolás Maduro, afirmou que os responsáveis ​​pelo fracasso e desastre da Assembleia Nacional, que está nas mãos da oposição política do país há 5 anos, têm um rosto e um nome: Henry Ramos Allup, Julio Borges e Juan Guaidó, que orquestraram bloqueios e sanções contra o país desde os Estados Unidos.

Em relação às eleições parlamentares deste domingo, 6 de dezembro, o chefe de Estado destacou que estes personagens fizeram muito mal à Assembleia Nacional como instituição, e ao país, pois apoiaram o bloqueio estadunidense, numa ação de traição nacional.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas