Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Em palestra no Fórum Nacional de Juízes Criminais, o ministro golpista do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, fez declarações na última quinta-feira (15) onde dizia que os membros da corte não possuíam liberdade de expressão, alegando que aqueles que reafirmam a lei e “garantem” a justiça, sempre são taxados de fascistas. Ora, uma política que nada mais visa para a população senão o seu massacre, não pode receber outra característica que não essa.

Em típica defesa do Estado burguês, o ministro criticou diversas medidas que visam reduzir o desastre causado pelas leis restritivas que existem no país – medidas responsáveis pelo encarceramento em massa no país e, pela morte de milhares – logo, fica claro que em sua visão totalmente anti-povo. Para o ministro muito justo, o cidadão tem mais é que ser massacrado pelo sistema prisional do país, sendo este verdadeiramente um depósito de carne humana.

Em um dos pontos da palestra, ele expõe uma colocação onde denota seu caráter fascista, onde diz, em tom de ironia: “qualquer tratamento rigoroso de criminalidade é questão de ditadura”, ou seja, para o ministro não tem nada demais em aplicar leis ainda mais punitivas em um país onde a população já sofre com duros ataques diante da política impetrada pelos golpistas e pelo próprio sistema capitalista.

Ao falar do aumento dessas leis, comentou sobre a execução da vereadora do Psol, Marielle Franco. Segundo o mesmo, depois do episódio, pelo menos quatro leis serão criadas, leis essas que somente servirão para a repressão da população pobre. Junto a isso, fala da questão de aumentar a pena, mesmo que a criminalidade não diminua. Evidentemente que ao dizer isso o ministro não está se colocando numa posição de resolver o problema, mas, na verdade, a solução seria a aplicação de leis mais rigorosas – lê-se massacrar o povo indiscriminadamente.

É preciso se organizar diante da luta contra o golpe que se aprofunda. Setores obscuros como representa o STF, com seus juízes que não foram eleitos pelo povo, são o que há de pior no pérfido judiciário golpista. Somente os trabalhadores organizados irão derrubar o golpe de Estado e colocar um fim à existência de instituições que não representam os interesses do povo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas