Lava-Jato Eleitoral
O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), tornou-se réu em processo movido pelo Ministério Público Eleitoral de São Paulo. A ideia é reciclar a operação Lava-Jato.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1yr55rlpbt5zpqpn1eho3ouw1
Geraldo Alckmin | Reprodução.

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), tornou-se réu em processo movido pelo Ministério Público Eleitoral de São Paulo sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro, além de recebimento de dinheiro para caixa dois da empreiteira Odebrecht.

A acusação se refere às campanhas eleitorais de 2010 e 2014. Segundo a Promotoria, o político tucano teria recebido R$ 2 milhões da Odebrecht na campanha realizada há dez anos atrás e R$ 9,3 milhões quando disputou a reeleição em 2014. Depoimentos de delatores,  planilhas da Odebrecht e dados armazenados foram anexados como provas no processo.

A Operação Lava-Jato procura se reciclar ao processar políticos de direita. A ideia é vender a imagem de que há imparcialidade nas investigações e de que não se trata de uma operação voltada para perseguir a esquerda e interferir nos resultados das eleições. A acusação contra os políticos tucanos é uma peça de propaganda, no sentido de tentar limpar a imagem da operação, uma vez que foram reveladas as ligações dos promotores com o FBI.

As perseguições vão se voltar contra a esquerda, em especial o Partido dos Trabalhadores (PT), no sentido de cassar as candidaturas de esquerda e permitir que a extrema-direita assuma o controle das principais prefeituras do país. A acusação contra os tucanos, já desmoralizados diante da opinião pública, atende aos interesses políticos da extrema-direita.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas