Crise interna?
Alckmin afirma que está deixando o cargo para poder cuidar de sua defesa, após denúncia de corrupção, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
2019-04-04T142826Z_1_LYNXNPEF331DF_RTROPTP_4_BRAZIL-POLITICS (1)
Tucano em apuros | Foto: Reuters

 O ex-governador tucano de São Paulo, o golpista Geraldo Alckmin (PSDB), decidiu deixar a coordenação da campanha pela reeleição do prefeito da capital Bruno Covas (PSDB), após ser denunciado pelo Ministério Público de São Paulo pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral no âmbito da operação Lava Jato.

Covas disse que Alckmin pediu para deixar coordenação da campanha para poder se dedicar a elaborar sua defesa. “Ele mesmo pediu para que possa se focar na sua defesa para se afastar da campanha, pediu que entendesse esse momento, pediu o desligamento da coordenação do programa de governo e a gente deseja todo o apoio a ele nesse momento”, disse o atual prefeito em entrevista coletiva nesta quinta-feira (23).

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas