Siga o DCO nas redes sociais

Alckmin cancela manifestação de 50 mil para meia dúzia de playboys na Paulista
Alckmin cancela manifestação de 50 mil para meia dúzia de playboys na Paulista

Movimento Brasil Livre (MBL) apareceu na cena política alegando que a Av. Paulista está reservada desde dezembro para eles. Segundo Kim Kataguiri, o MBL diz que protocolou em dezembro o uso da Avenida Paulista para manifestação e que somente há dois dias a CUT decidiu fazer protocolo também.

O MBL está achando que a Avenida Paulista é um salão de festa quem chega primeiro leva, podemos perceber que isso é uma fraude, pois os “paneleiros” querem esvaziar o ato contra a prisão de Lula, com apoio do Poder Judiciário.

A Polícia Militar que apoia os “coxinhas” definiu nesta quarta-feira (17), que a via será destinada à manifestação do MBL. A determinação aconteceu após uma reunião entre líderes dos movimentos e representantes da PM, da Guarda Civil Metropolitana e da CET.

A concentração será no vão livre do Masp e a previsão é de que pelo menos uma faixa ficará interditada no sentido da Consolação. A decisão desagradou a Central Única dos Trabalhadores, que havia agendado um protesto para as 17h, em frente ao prédio da Fiesp.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em São Paulo, Douglas Izzo, disse que o grupo vai recorrer da decisão: “apresentamos várias alternativas para a realização dos dois atos na Avenida Paulista. Não foi possível diante da intransigência do grupo Revoltados Online e vamos trazer milhares de trabalhadores para as ruas de São Paulo para defender a democracia e o Estado de Direito”.

A Polícia Militar sugeriu ao Ministério Público de São Paulo que faça um pedido à Justiça para barrar qualquer ato, dos dois grupos, na Paulista.

A CUT não deve recuar, pois a rua pertence à esquerda e aos movimentos sociais, ao povo. Os playboys que insistirem devem ser retirados da Avenida Paulista.