Em Maceió, trabalhadores da Eletrobrás param atividades contra a privatização

7D4D2B53E86CB2A031966B4124FC730A9095_eletrobras

Na última quarta-feira (19), em Maceió, trabalhadores da Eletrobrás Distribuição Alagoas paralisaram suas atividades na sede da empresa em protesto contra o leilão dessa unidade. O motivo da paralisação é opor-se à privatização da empresa que levará a dispensa dos funcionários, além daqueles que entraram na empresa via concurso público.

A assembleia geral dos sindicatos também deliberou pela paralisação nos dias 27 e 28 de dezembro. Neste último dia, está previsto o leilão da empresa.

O leilão da Companhia Eletrobrás Distribuição Alagoas faz parte da política golpista de privatização e de ataque aos direitos trabalhistas. Nesse sentido, o movimento paredista está inserido no contexto de uma reação local à política neoliberal dos golpistas.

No entanto, o movimento deve ser amplo e atacar o governo golpista de conjunto e, para isso, é necessário organizar uma mobilização de caráter nacional nas ruas para derrubar esse regime que está vendendo o País e que continuará com o governo do fascista Jair Bolsonaro, que declarou inúmeras vezes ser contrário aos direitos dos trabalhadores e que tem pena das empresas que são prejudicadas por pagar os “altos” encargos trabalhistas.
Para combater essa extrema-direita neoliberal, então, é necessário organizar-se nos comitês de luta contra o golpe e contra o fascismo formados em todo o país e lutar pela palavra de ordem “Fora Bolsonaro e todos os golpistas!”, fazendo com que a força de amplos setores do país possa derrotar nas ruas o governo golpista.